23°
Máx
12°
Min

Acusado de racismo, sem residência fixa e usuário de drogas, responderá pelo crime em liberdade

(Foto: Ilustração) - Homem confessa racismo e responderá em liberdade
(Foto: Ilustração)

Ezekel Paczkowski, de 40 anos, confessou à polícia, a autoria dos insultos contra uma adolescente de 15 anos, registrado no dia 17 de maio, em um ônibus do transporte coletiva, que percorria o itinerário Interbairros IV. As informações da Assessoria de Imprensa da PC, são de que o caso foi investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), e resultou no indiciamento do acusado pelo crime de racismo.

Segundo a polícia, após o registro da denúncia, o homem foi identificado e localizado. À polícia ele disse “não saber por qual motivo fez isso com a jovem”. A polícia revelou que o acusado é “usuário de drogas, não tem residência fixa e disse estar arrependido”.

Paczkowski vai responder pelo crime em liberdade. A condenação passível é de até três anos de prisão. Ele também está impedido, segundo a polícia, através de medidas cautelares, de “deixar a região e de frequentar terminais de ônibus”. O acusado já tinha passagem pelo setor policial e condenação pelo crime de assalto a mão armada.

O caso

A vítima, uma jovem de 15 anos, relatou eu “estava no coletivo, voltando de uma atividade Escolar, quando foi insultada por palavras de ódio e tentativa de agressão. O acusado, teria tentado cuspir em seu rosto”. O relato da irmã da vítima, é de que “ele a chamou de ‘macaca’, ameaçou de morte, perguntou se nossos pais eram ‘macacos’, disse que na terceira guerra mundial faria questão de matá-la, perguntou quanto tempo ela ficou no sol para ser tão ‘preta’ e falou coisas horríveis”.

O caso por si só, chamou a atenção pela gravidade, e também pelo fato de que a família encontrou dificuldades para ser atendida e conseguir registrar a ocorrência na polícia.

Colaboração Assessoria Polícia Civil