20°
Máx
14°
Min

Adolescente atropelada no Fazendinha segue internada na UTI

(Foto: Juliana Rodrigues/Rede Massa) - Força, Gabriela!
(Foto: Juliana Rodrigues/Rede Massa)

A adolescente Gabriela, de 13 anos, que foi atropelada duas vezes no Bairro Fazendinha, na terça-feira (9), em uma sequência de acidentes segue internada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Trabalhador. De acordo com o as informações da Andrezza, a mãe da jovem, “ela está recebendo o tratamento, foi preciso colocar um dreno no pulmão, mas estamos confiantes, temos esperança e fé que ela vai sair dessa”. A mãe contou que ela segue em coma, e que a expectativa agora é que ela reaja ao tratamento. “Estamos pedindo a Deus que ela acorde do coma, que ela se recupere”, disse.

O acidente que vitimou a Gabriela foi chocante. A menina foi atropelada por uma moto que a arremessou do outro lado da rua, onde ela foi atropelada por um carro que passou por cima da jovem, sendo que o motorista fugiu sem prestar socorro. A tragédia foi registrada em frente ao condomínio em que a família mora, na Rua João Dembinski. Conforme o relato da mãe da Gabriela, e de muito amigos que entraram em contato com o Massa News para relatar o caso, “a via não tem sinalização adequada”. Os amigos fizeram um protesto na quinta-feira (11), com o objetivo de chamar a atenção das autoridades para o problema. “Minha filha está lá na UTI, e ainda teve pessoas que moram no mesmo condomínio que reclamaram do protesto. É muito fácil falar dos outros, mas todos estão sujeitos a acidentes. São 480 famílias que moram aqui, muitas crianças”, desabafou Andrezza. “Aqui, a lombada que tem é muito longe e para usar a travessia elevada é preciso atravessar outra rua ainda mais movimentada”, acrescentou.

A mãe também contou, que apesar disso, tem recebido muita força dos amigos da Gabriela, e que a família quer agora, é que ela se recupere logo e fique bem. “Minha filha vai sair dessa”.

Amigos da Gabriela relataram que a rua “é muito, muito perigosa, e que já foram efetuadas 15 solicitações na Prefeitura para que o problema seja solucionado”, no entanto, até agora, mesmo depois do grave acidente com a jovem, efetivamente nenhuma medida foi tomada.