22°
Máx
14°
Min

Adolescentes confessam que mataram travesti por homofobia

Adolescentes confessam que mataram travesti por homofobia

A Polícia Civil de Apucarana já esclareceu a morte de uma travesti de 14 anos, encontrada dentro de uma represa em Novo Itacolomi. Quatro adolescentes foram apreendidos e são apontados como os autores do homicídio.

Os meninos de 17, dois de 16 e um de 15, foram apreendidos após investigações e depoimentos de testemunhas que afirmaram ter visto eles junto com o adolescente assassinado. Dois dos rapazes confessaram que mataram Lucas Mateus Pereira, conhecido como Luana Biersack.

Os outros dois negaram o crime, mas disseram que presenciaram a morte da vítima. Eles ainda afirmaram que tentaram impedir e chamar a polícia, mas foram ameaçados.

Segundo a polícia os adolescentes afirmaram que saíram juntos, foram até o lago onde beberam e usaram drogas. Em seguida eles mantiveram relação sexual com a vítima e depois a mataram.

A travesti de 14 anos foi assassinada com agressões e afogada, segundo os autores. Depois de deixaram o menino desacordado, os adolescentes jogaram o corpo dele na represa. Conforme a polícia o grupo vai responder pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Emocionada, a mãe da vítima, Marta Dias, disse que o filho é que ficou preso e nunca mais voltará, já que os assassinos um dia vão sair da cadeia. Ela ainda expressou a dor de nem poder vir o rosto do filho para dar o último adeus.

O caixão da vítima precisou ser lacrado, devido ao estado em que o corpo estava. Além disso, o enterro foi feito ontem mesmo sem velório. A polícia aponta que a motivação do homicídio tenha sido a homofobia.

A travesti morta ficou quase 10 dias desaparecida e a família procurou a polícia que passou a investigar o caso.

Colaboração: Silvia Vilarinho / Rede Massa