24°
Máx
17°
Min

Advogado argumenta que PM Onishi conhecia Jadson e nega participação de Goulart

Jadson desapareceu e foi encontrado morto uma semana depois (Foto: Divulgação) - Advogado argumenta que PM Onishi conhecia Jadson
Jadson desapareceu e foi encontrado morto uma semana depois (Foto: Divulgação)

A execução do adolescente Jadson José de Oliveira, 17 anos, em Sarandi, continua a gerar questionamentos. O policial militar Jonatan Vinicius Goulart, 31 anos, denunciou o companheiro de viatura Marco Aurélio Onishi, 37 anos, pelo crime e depois foi acusado pelo suposto autor.

O advogado do soldado Goulart, Clayton Eduardo Gomes, defende que Onishi foi sim o verdadeiro autor dos tiros que mataram o adolescente e que ele estaria usando a acusação do delator como estratégia de defesa.

Gomes argumentou que seu cliente não conhecia Jadson José de Oliveira, enquanto Marco Aurélio Onishi já. Onishi apreendeu o adolescente com mais de dez quilos de maconha e teria sociedade em uma marcenaria com outro policial militar, justamente perto da casa do adolescente.

Além disso, Goulart atuava há pouco tempo em Sarandi, menos de seis meses, e estava no primeiro dia de trabalho com Onishi, o comandante da viatura. O advogado ainda levantou que o acusado tem fama de violento.

Foi o soldado Goulart quem procurou a polícia e denunciou a autoria do assassinato, alegando que vinha sendo ameaçado, por isso, não tinha revelado a verdade antes. Esta semana, Onishi então deu um novo depoimento e, desta vez, passou de acusado a acusador.

Tanto a Polícia Militar quanto a Polícia Civil investigam o caso.

Colaboração Índio Maringá da Rede Massa