23°
Máx
12°
Min

Aeroporto de Londrina 'perde' 20 mil passageiros

(foto: João Ramondini/Rede Massa) - Aeroporto de Londrina 'perde' 20 mil passageiros
(foto: João Ramondini/Rede Massa)

A redução na oferta de voos das três principais companhias aéreas do país teve impacto direto na movimentação de passageiros no aeroporto Governador José Richa, em Londrina.

Segundo dados da Infraero, 72.126 pessoas embarcaram e desembarcaram no terminal em abril, volume 21,57% menor que o registrado no mesmo mês de 2015, quando 91.968 passageiros usaram o terminal. O volume de pousos e decolagens também caiu, de 2.300 em abril de 2015 para 2.205 no último mês.



No final de março, TAM, Gol e Azul anunciaram um corte no número de voos diretos de Londrina para Curitiba. A justificativa oficial foi um “ajuste na malha” em decorrência da crise econômica enfrentada pelo país. No entanto, a causa principal foi o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) sobre o querosene de aviação. A alíquota saltou de 7% para 18%.

Para Mara Piubelli Figueiredo, sócia de uma agência de turismo, o impacto maior está na queda de passageiros que usam o aeroporto para viagens corporativas. “O lazer diminuiu, mas por conta da crise econômica. O prejuízo maior do cancelamento dos voos em Londrina está naquela pessoa que viaja a trabalho, para ir e voltar no mesmo dia”, analisa.


 Com relação às viagens de lazer, Mara aponta uma mudança de comportamento no consumidor. “Antigamente, fazia uma programação com um ano de antecedência, para uma viagem mais cara e mais longe. Com esta instabilidade financeira, não só do câmbio, mas também do próprio emprego, as pessoas não têm mais esta previsão de longo prazo. Muitos chegam querendo uma viagem já para a semana seguinte”.

A Infraero não autoriza o superintendente de Londrina, Marcus Vinicius Rezende Pio, a conceder entrevistas e comentar sobre a redução na movimentação de passageiros. Outro problema enfrentado pelo terminal é a paralisação das obras de construção de uma nova sala de embarque de passageiros.

Orçada em R$ 3,7 milhões, a obra estava prevista para ser entregue ainda em 2014, com um espaço de 1,2 mil metros quadrados para abrigar quatro portões de embarque, o que triplicaria a capacidade de atendimento aos passageiros.