20°
Máx
14°
Min

Aeroporto de Ponta Grossa reabre para voos executivos

(Foto: Divulgação)  - Aeroporto de Ponta Grossa reabre para voos executivos
(Foto: Divulgação)

Falta pouco para que Ponta Grossa esteja apta a entrar na rota dos voos comerciais do Brasil. Nesta semana, a Prefeitura finalizou mais uma etapa no processo de adaptações e licenças para que este sonho da comunidade seja realizado. Agora, todas as modificações estruturais exigidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e CINDACTA II diretamente na pista do Aeroporto Santana já foram concluídas e aprovadas. Com o fim desta etapa, a pista está novamente liberada para voos executivos, após ficar interditada para obras, desde 15 de fevereiro deste ano.

O aeroporto já obteve a emissão dos NOTAN [Notice to Airmen – aviso aos navegantes] de alteração de características físicas da pista, que incluíram alteração das distâncias declaradas, nova declinação magnética, recuo da cabeceira 08 e demarcação de pátio e pista, realizadas através da Secretaria de Indústria e Comércio, pasta responsável pela gestão do Aeroporto de Ponta Grossa.

Isso significa que o tráfego aéreo voltou ao que era antes, porém, com uma estrutura ampliada e já com toda a sinalização horizontal exigida pelo órgão que regula a operação de voos comerciais (de transporte de passageiros). O próximo passo no processo exigido pelas autoridades aeroportuárias será a realização de um simulado de combate a incêndios e, na sequência, os voos de passageiros já serão possíveis para as empresas aéreas.

“É mais uma etapa vencida, com a aprovação das mudanças das características da pista que nos foram exigidas. Agora entramos em mais uma etapa para a homologação da sessão contra incêndios junto à Anac”, afirma o secretário de Indústria e Comércio, Paulo Carbonar.

Com a reabertura, foram retomadas as tradicionais atividades do Aeroclube de Ponta Grossa e das empresas de aeromecânica instaladas no local. Nesta quinta, dezenas de aviões pousaram e decolaram para procedimentos de manutenção, após o período de paralisação. Dentro de até dez dias, o balizamento noturno também já estará novamente disponível – o sistema de lâmpadas de 6.000 volts está em manutenção.

Colaboração Assessoria de Imprensa.