23°
Máx
12°
Min

Análise de viadutos interditados da PR-445 vai custar R$ 291 mil

(foto: Devanir Parra/CML) - Análise de viadutos interditados da PR-445 vai custar R$ 291 mil
(foto: Devanir Parra/CML)

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) já definiu a empresa responsável pela análise dos viadutos e trincheiras da PR-445 com as avenidas Dez de Dezembro, Waldemar Spranger e Guilherme de Almeida, cujas obras estão suspensas desde fevereiro por decisão judicial, sob alegação de representar “perigo eminente aos cidadãos” com a presença de rachaduras visíveis no local. A duplicação está sob responsabilidade da construtora Sanches Tripoloni.

A Egel Engenharia, com sede em Curitiba, foi contratada por dispensa de licitação para execução de análise de estabilidade dos muros de gravidade laterais dos acessos aos viadutos e trincheira. Também está prevista elaboração de projeto executivo de engenharia para execução dos reforços nos viadutos casos as análises confirmem instabilidade nas obras, incluindo memórias de cálculo e orçamento.

O cronograma ainda será entregue pela empresa.

A contratação de análise externa sobre a obra faz parte de um acordo entre o Ministério Público e o DER e vai custar R$ 291 mil. A dispensa de licitação se justifica pela situação de emergência no local reconhecida pelo departamento em documento assinado pelo diretor-geral Nelson Leal Junior.

O resultado da avaliação pode servir para que o DER acione judicialmente a Sanches Tripoloni em caso de gastos extras para a conclusão da obra ou até uma eventual indenização aos cofres públicos pela má qualidade no que foi entregue. “Somente depois da avaliação técnica, o DER poderá saber com total precisão as causas do incidente da avenida Dez de Dezembro e, assim, poder tomar medidas cabíveis, se necessário”, disse o órgão por meio de nota.

A duplicação de 22 quilômetros da rodovia PR-445, entre Londrina e Cambé, está com cerca de 80% das obras prontas, segundo o DER, com investimentos de R$ 162 milhões.