23°
Máx
12°
Min

Antonio Carlos Aleixo é reeleito reitor da Unespar

Nova gestão fará mandato entre 2017 e 2020 - Antonio Carlos Aleixo é reeleito reitor da Unespar
Nova gestão fará mandato entre 2017 e 2020

O professor Antonio Carlos Aleixo foi reeleito reitor da Universidade Estadual do Paraná e terá como vice Sydnei Kempa. A eleição aconteceu na terça-feira (27), com 55,74% dos votos para a chapa “Unespar de Todos Nós”, que saiu vitoriosa nos campi de Apucarana, Campo Mourão, Curitiba I, Curitiba II, Paranaguá, União da Vitória e Academia Policial Militar do Guatupê. Os dois farão a gestão entre os anos de 2017 e 2020.

A chapa “Unespar Integrada: pública, plural e democrática”, que tinha como candidato a reitor o professor Elias de Souza Junior e Caio Nocko como vice, registrou 44,26% dos votos, com vitória no campus de Paranavaí.

Perfil

Antonio Carlos Aleixo é professor do colegiado do curso de Letras do campus de Campo Mourão. Foi diretor do campus por duas gestões, quando ainda era Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (Fecilcam), coordenador de curso e chefe de departamento. Possui graduação em Letras pela então Fecilcam e mestrado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Sydnei Kempa é professor do colegiado do curso de Pedagogia do campus de Paranaguá e responde como pró-reitor de Gestão de Pessoas e Desenvolvimento (Progesp). Já foi vice-diretor do campus na época em que era Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá (Fafipar). Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade Estadual de Educação Ciências e Letras de Paranavaí (Fafipa), atual campus de Paranavaí da Unespar. É mestre e doutor em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), respectivamente

Eleição

Foram registrados 3.969 votos válidos, sendo 723 professores, 138 agentes universitários e 3.099 estudantes dos cursos de graduação e pós-graduação. Dentre os votantes, apenas 29,35% dos alunos participaram e 330 professores não votaram (28,5%). A maior adesão ao processo foi dos agentes universitários.

O resultado será homologado após avaliação do Conselho Universitário (COU), durante a sessão que está agendada para 10 de novembro.

Colaboração Assessoria de Imprensa