20°
Máx
14°
Min

Apesar de queda de público, setores comemoram faturamento na ExpoLondrina

(Foto: Divulgação) - Apesar de queda de público, setores comemoram faturamento na ExpoLondrina
(Foto: Divulgação)

Em um ano cheio de notícias negativas, com um cenário de incertezas políticas e economia nacional comprometida, a ExpoLondrina 2016 – considerada um dos maiores eventos agropecuários da América do Sul – sofreu  impactos em alguns segmentos.

Mas no balanço geral, importantes setores econômicos registraram crescimento, como o de venda de veículos, que comercializou cerca de 525 unidades, 26% mais que em 2015, entre carros de passeio e utilitários; setor de alimentação, incluindo restaurantes e lanchonetes, com crescimento de 10%;  Feira de Sabores, com 41%;  setor de varejo no Pavilhão Internacional, crescimento de 4,55%; e o setor de selarias, troncos e balanças, com faturamento 8% superior a 2015.

Os resultados foram apresentados na manhã desta quinta-feira (12) pelo presidente da Sociedade Rural do Paraná, entidade organizadora do evento, Moacir Sgarioni; e pelo diretor comercial, Nivaldo Benvenho.

O faturamento da Expolondrina registrou uma queda de 8,5% no volume global comercializado, de R$ 427.389.000,00 em 2015  para R$ 400.210.935.00. O público dos oito dias de shows cresceu 7,74% em relação a Expo2015 e o público geral de visitantes no parque foi de 522.069, 7,2% menor que em 2015, representado principalmente pela perda de 30.000 visitantes no último domingo da exposição, tradicionalmente o de maior público no parque e  que coincidiu com a votação do impeachment da presidente da República na Câmara dos Deputados.

A agenda técnica, com palestras, cursos, seminários, debates e oficinas temáticas, considerado um dos pilares da Exposição ao levar, de forma prática e gratuita, informações a mais de 13 mil produtores rurais e empresários também cresceu consideravelmente. Ano passado foram 14 eventos, contra  30 este ano; além de 54 oficinas temáticas (36 ano passado).

“São dados que refletem o momento que o país passa. Mas para nós da Sociedade Rural do Paraná, estamos com a sensação de missão cumprida, provando que com competência, união e parcerias é possível surpreender positivamente os pessimistas de plantão. Foi uma grande vitória”, sustenta o presidente da entidade, Moacir Sgarioni.

Agenda técnica qualificada

Um dos pontos altos da ExpoLondrina deste ano foi também a agenda técnica, com a realização de 30 eventos, entre seminários, palestras, encontros e debates; além de 54 oficinas temáticas realizadas pela Emater, na Via Rural-Fazendinha.

“Temos certeza que essa agenda contribuiu e muito para atrair um número maior de produtores e empresários interessados em novos conhecimentos. A agenda técnica é um dos nossos principais pilares, porque significa uma grande oportunidade para o agropecuarista adquirir novas técnicas de manejo, conhecer as novas tecnologias disponíveis e trocar informações sobre as suas atividades”, diz o presidente da SRP. Nos 11 dias de Exposição, 13.720 produtores rurais e empresários participaram dos eventos técnicos, que também deram grande ênfase ao tema exportações.

Maratona tecnológica

A ExpoLondrina inovou e realizou o 1º Hackathon Smart Agro, uma maratona tecnológica que reuniu cerca de 80 profissionais em torno do desafio de criar soluções tecnológicas para o agronegócio. A maratona reuniu programadores, designers, empreendedores, 60 mentores e profissionais do agronegócio. Os competidores passaram mais de 40 horas reunidos, trabalhando no desenvolvimento de softwares que atendessem ao desafio proposto pela organização.

A equipe SafeSeed, formada por Dionatan Felipe Morganti da Silva (Itambaracá), Douglas da Silva Machado (Bandeirantes), Gustavo Fontolan (Bandeirantes) e Luiz Guilherme Lira de Arruda (Londrina), ganhou o primeiro lugar com o projeto “Monitora, via sensoriamento remoto, dados de umidade e temperatura do solo em duas profundidades de perfil”. Entre as premiações, a equipe vencedora fará uma viagem ao Vale do Silício, nos EUA, onde conhecerá várias empresas de tecnologia.

Dados Econômicos

A ExpoLondrina é um evento de impacto econômico regional. Segundo Sgarioni, este ano foram gerados 6.800 empregos diretos e indiretos a moradores de Londrina e região. “Além disso, pagamos alta soma de impostos para a Prefeitura e a órgãos federais. Acima de tudo, geramos  notícias positivas antes, durante e depois, contrapondo o cenário negativo. Promovemos uma agenda de lazer e a ExpoLondrina muda, de forma positiva, a rotina da cidade”, destaca.

Entre os atrativos para o público em geral, Sgarioni cita o Parque de Diversão Ita Center, o maior parque itinerante do país; shows, a Feira de Sabores, Feira de Pequenos Animais, além dos bons restaurantes, da  Expo Food Truck (realizada pela primeira vez), além de praças de alimentação com opções variadas para todos os gostos e bolsos.

Responsabilidade social

A Sociedade Rural do Paraná realiza, todos os anos, um plano de gestão do lixo e resíduos gerados durante a ExpoLondrina. A entidade contrata empresas especializadas para consultoria e assessoria ambiental.

O lixo orgânico recolhido foi selecionado e transformado em adubo, posteriormente enviado para  hortas comunitárias. “Também tivemos a coleta do óleo , onde foi recolhido mais de 970 litros de óleo vegetal usado nas praças de alimentação”, contabiliza Sgarioni.

(com assessoria de imprensa)