22°
Máx
17°
Min

APMI terá de devolver R$ 30 mil aos cofres da prefeitura

(Foto: Sindicontas) - APMI terá de devolver R$ 30 mil aos cofres da prefeitura
(Foto: Sindicontas)

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) julgou irregulares as contas do convênio entre a Prefeitura de Iretama (a 62 quilômetros de Campo Mourão) e a Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI), do ano de 2012. Foi determinada a devolução de R$ 30.428,96, com a correção da inflação, pela entidade e pela então presidente Rose Mari Maybuk.

O relator Artagão de Mattos Leão recomendou a rejeição em virtude da realização de despesas antes da vigência do contrato e também pela ausência de extratos bancários necessários para comprovar a utilização correta dos recursos. Cinco repasses foram feitos antes da vigência, por exemplo, somando R$ 2.201,13. 

O Tribunal de Contas do Estado multou a então presidente da APMI, Rose Mari Maybuk, e o prefeito à época de Iretama, Antônio José Quesada, em R$ 2.901,96 e determinou a inclusão de seus nomes no cadastro de responsáveis por contas irregulares. A antecessora de Rose Mari, Helena Tolin, também foi autuada, mas em R$ 1.450,98.