24°
Máx
17°
Min

Após prisões, policiais militares fazem vigília em frente ao 5º Batalhão

(foto: PM/Divulgação) - Após prisões, policiais militares fazem vigília em frente ao 5º Batalhão
(foto: PM/Divulgação)

Um grupo de policiais militares fez uma vigília em frente à sede do 5º Batalhão, às margens da PR-445, em Londrina, para protestar contra a operação que prendeu seis policiais acusados de envolvimento na série mortes registrada entre a noite de 29 de janeiro e a madrugada do dia 30, que acabou com 12 pessoas assassinadas e outras 13 baleadas na cidade.

Os PMs não quiseram se pronunciar, dizendo se tratar de um protesto silencioso. Eles ainda fizeram uma coleta de dinheiro para ajudar no pagamento de honorários dos advogados dos envolvidos. Eles ainda pedem que os colegas cumpram prisão temporária de 30 dias na sede do Batalhão e não sejam transferidos.

A Polícia Militar está instaurando processos administrativos contra os profissionais da corporação envolvidos no caso. “Não existe nenhuma condescendência em relação a atos que não sejam pautados pela atuação legítima daquilo que nossos policiais se propõem a fazer, que é a proteção à sociedade”, declarou o comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato, em entrevista coletiva realizada na sexta-feira (13).

(colaborou Odair José/Rede Massa)