28°
Máx
17°
Min

Após reforma, maternidade investe e incentiva parto humanizado

(foto: Divulgação) - Após reforma, maternidade investe e incentiva parto humanizado
(foto: Divulgação)

Uma das principais novidades no atendimento da nova maternidade do Hospital Anna Fiorillo Menarim, é a implementação do parto humanizado. O modelo de atendimento foi implantado junto com a reforma da maternidade, pois exige mudanças não apenas no método de atendimento utilizado, como também na estrutura do prédio.

Para que o parto humanizado fosse implantado a reforma da maternidade foi focada no modelo de atendimento que exige: sala de exame, admissão e higienização da parturiente, sala de pré parto, sala de recuperação pós- anestesia, sala para assistência a recém-nato, vestiário de barreira, além da implantação do alojamento conjunto para que mães e bebês fiquem juntos. Ainda foi implementado o berçario de cuidados intermediário e área de cuidados e higienização dos bebês.

Além do espaço adequado, a implementação do parto humanizado prevê  algumas  mudanças nos procedimentos, pois o método apoia o contato da mãe com o bebê desde a hora do nascimento até o momento da alta médica. “O intuito do parto humanizado é melhorar o acesso, propiciar um atendimento de fato mais humanizado, a diferença está na condução do processo, pois nesse caso, a mãe não se separa do filho, mesmo durante o processo de higienização e de cuidados com o bebê o pai também pode acompanhar todo o processo, desde o momento do parto, até o quarto”, explica o secretário de saúde Julio Cesar Sandrini.

Entre outras mudanças o parto humanizado prevê a amamentação da criança na primeira hora de vida, e ainda que o exame físico, pesagem e vacinação do recém-nascido, entre outros procedimentos, sejam feitos apenas depois da sua primeira hora de vida.

O diretor médico do Hospital Anna Fiorillo, Ernesto Comelli destaca as medidas de humanização essenciais que o parto humanizado preconiza. “ Para isso a maternidade já adotou o protocolo de Boas Condutas ao Parto, que foi instituído pela Organização Mundial de Saúde, e que já inclui as medidas do parto humanizado. O parto humanizado tem o objetivo de 'humanizar' o método e para isso exige profissionais adequados, como por exemplo, médico obstetra, enfermeira obstetra e o médico pediatra que vai acolher a mãe e o bebê, acompanhar a primeira mamada e oferecer a assistência que o paciente precisa nesse momento”, ressalta.

Além disso, todos os recém-nascidos na maternidade terão acesso aos testes do pezinho, orelhinha, olhinho, coraçãozinho no Hospital Anna Fiorillo.

Como dito, a implementação desse método - parto humanizado -, o pai ou o acompanhante pode acompanhar a gestante desde o momento da sua internação, até a hora do parto e também no quarto durante todo o período de internação.

Rafael Pereira da Silva, que acompanhou o nascimento da filha nesta segunda-feira (19), conta que se surpreendeu com a 'modalidade de atendimento'. “Fiquei muito contente em poder acompanhar minha esposa em todo o tempo, e ver esse momento tão especial que foi o nascimento da minha filha de pertinho. Estou muito satisfeito com o atendimento recebido, desde a entrada até o momento do parto, e agora toda a atenção que temos recebido, é um atendimento realmente digno. Eu moro atualmente em Castro, mas eu sou do estado do Pará, e lá a realidade é bem diferente daqui, um exemplo foi o parto da minha irmã que acompanhei, após o nascimento do bebê, ela ficou em um quarto com várias camas e várias outras gestantes, sem a privacidade que nós encontramos aqui”, destaca Rafael.

A esposa de Rafael, Diane Michele Domingues Sampaio, de 26 anos, foi quem deu a luz a Nicoly Raphaela na tarde da segunda-feira (18) na maternidade do Hospital Anna Fiorillo. Diane que fez todo o pré-natal na unidade de saúde Morada do Sol, conta que estava ansiosa para que a maternidade de Castro, estivesse em funcionamento a tempo do nascimento da filha. “ Estava contando os dias, e fiquei muito satisfeita com o atendimento que recebi, desde o meu primeiro momento aqui no Hospital – Anna Fiorillo - além de encontrar um ambiente muito receptivo e confortável, uma equipe atenciosa que nos passou muita tranquilidade, afinal esse foi o nascimento da nossa primeira filha. Uma das surpresas mais agradáveis, foi a oportunidade de ter meu bebê pertinho em todo o tempo e poder contar com a companhia do meu marido durante todo o parto, até o final da internação. Posso dizer que o atendimento que recebemos nos permitiu sentir-se valorizados, respeitados. A maternidade de Castro está de parabéns”, frisa Diane.

Juliana de Almeida, de 18 anos, mãe da recém nascida Ana Julia, também comentou o bom atendimento recebido na maternidade. “Fui muito bem atendida desde a entrada no Hospital, gostei muito do direito a ter minha filha no quarto comigo o tempo todo, assim também enquanto mãe posso acompanhar o atendimento que ela recebe, isso nos deixa mais confortáveis. Outra mudança que achei muito positiva foi a oportunidade de ter um acompanhante durante o parto, assim minha mãe pode estar comigo o tempo todo”, completa

Do início do funcionamento da maternidade do Hospital Anna Fiorillo - que aconteceu na última sexta-feira (15) - até agora já foram registrados dez nascimentos. Além disso, desde segunda-feira (18), a maternidade já está atendendo gestantes de risco habitual e de risco intermediário de Carambeí, Piraí do Sul, Arapoti e Sengés. A estimativa é que sejam realizados  cerca de 100 partos ao mês.

(com assessoria de imprensa)