Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Área de telecomunicações lidera ranking de reclamações no Procon

(Foto: Divulgação) - Área de telecomunicações lidera ranking de reclamações no Procon
(Foto: Divulgação)

Praticamente metade de todas as consultas, reclamações e processos abertos pelo Procon de Ponta Grossa em 2016 são relativos ao setor de serviços. No total, segundo relatório da Coordenadoria Municipal de Orientação e Defesa do Consumidor, foram mais de 5.700 atendimentos pessoais, além de 2.200 audiências, “e um volume bastante expressivo de consultas, que estão fora do registro formal”, anota o coordenador-executivo do Procon, Edgar Hampf.

Do total de 7.633 registros, 5.744 foram relativos ao setor de serviços. Desses, 934 resultaram em processos administrativos. Entre os atendimentos que estão fora do registro formal, estão as consultas por telefone, e-mail e redes sociais, além da busca pessoal por informações e orientação na própria sede do Procon. “Agora temos condições de oferecer mais agilidade nos atendimentos, com a mudança para as novas instalações, no Edifício Guaíra”, registra o coordenador. A mudança resultou na ampliação das mesas de atendimento – das antigas cinco para as atuais 12 – além do incremento em todas as demais áreas, inclusive fiscalização, departamento técnico e cartório.

Porém, se o atendimento foi otimizado, as áreas em que as reclamações são mais frequentes permanecem inalteradas. No setor de serviços, a área de telecomunicações (telefonia, internet e dados, inclusive TV) é predominante (praticamente 50% do total). E isso vem se repetindo ano após ano. A seguir, no ranking do Procon, aparecem assuntos financeiros, respondendo por 22% (1.738 registros em 2016) e Produtos (1.714 registros). O setor de habitação vem a seguir, mas com frequência muito menor: 199 registros durante o ano passado. Depois, pela ordem, Saúde (105), consórcios (16) e alimentos (9).

Nesse mesmo período, segundo o coordenador Edgar Hampf, foram abertos ainda 1.886 processos administrativos. Isso acontece quando as demandas dos consumidores não são resolvidas pelo fornecedor. Desses, 849 foram já arquivados, resolvidos. Outros 703 estão no jurídico para aplicação de multa, ao passo que 244 estão aguardando audiências conciliatórias (já designadas) e 90 aguardam prazo de cumprimento de acordo.

Material escolar

Equipes do Procon de Ponta Grossa já estão coletando dados para a pesquisa de preços do material escolar. São avaliadas dezenas de itens em vários estabelecimentos comerciais. De acordo com o coordenador, a pesquisa integral deve ser divulgada já no início da próxima semana. “Pesquisar é o melhor procedimento a ser adotado pelo consumidor. Nossas pesquisas são ferramentas essenciais para compras conscientes e mais vantajosas para os consumidores. São desenvolvidas com muito critério e cuidado. E sua utilização pode garantir uma economia considerável”, reforça o coordenador. A pesquisa é sempre disponibilizada no site da Prefeitura de Ponta Grossa e na página do Procon Ponta Grossa no Facebook.

Colaboração Assessoria de Imprensa.