22°
Máx
17°
Min

Assassinos de vereador pediram gasolina antes de cometer o crime

Presidente da Câmara de Ortigueira foi executado com um tiro na cabeça (Foto: Divulgação) - Assassinos de vereador pediram gasolina antes de cometer o crime
Presidente da Câmara de Ortigueira foi executado com um tiro na cabeça (Foto: Divulgação)

A Polícia Militar divulgou mais detalhes do caso do homicídio do vereador e presidente da Câmara Municipal de Ortigueira, João Batista Luís Borges. De acordo com a PM, a vítima morava no Assentamento RR, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Dois homens foram até o portão para pedir dinheiro para comprar gasolina.

Quando o vereador foi até a frente da casa para atender aos dois homens, foi rendido com uma arma de fogo. Segundo a PM, os bandidos invadiram a residência e pediram por dinheiro e por uma pistola. Sua esposa e seu filho foram amarrados e trancados no banheiro, enquanto o parlamentar foi levado para fora da casa.

Os criminosos aproveitaram que o vizinho chegava em casa com um Uno branco e roubaram o veículo, levando junto o vereador. Depois de alguns metros, os bandidos desceram do veículo, obrigaram o parlamentar a deitar no chão e deram um tiro na cabeça dele. O veículo foi abandonado no local e o vereador ficou ao lado do carro. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, ainda há poucas informações sobre o caso. Ainda não há a confirmação se a morte de João Batista será investigada como latrocínio ou homicídio, já que a polícia não soube informar se foi levado algum objeto da residência. A assessoria também não sabe informar como os bandidos fugiram do local do crime. O delegado de Ortigueira, Rafael Bacelar de Souza, preferiu não falar sobre o caso.