24°
Máx
17°
Min

Assessor de campanha é assassinado e Justiça determina toque de recolher

Assassinato ocorrido em Cantagalo motivou toque de recolher de Justiça (Foto: Divulgação) - Assessor de campanha é assassinado e juiz determina toque de recolher
Assassinato ocorrido em Cantagalo motivou toque de recolher de Justiça (Foto: Divulgação)

A situação é tensa na cidade de Cantagalo, a 80 quilômetros de Guarapuava, desde o início da noite desta quinta-feira (29). Emílio Gervásio, assessor da campanha de um dos candidatos à Prefeitura da cidade, foi assassinado com pelo menos nove tiros próximo ao comitê da campanha no fim da tarde de ontem.

De acordo com a Polícia Militar, o homem estava em uma caminhonete quando foi baleado e morreu ainda no local. A Polícia Civil esteve no local e o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). De acordo com as autoridades policiais, o homem já tinha sido vítima de tentativa de homicídio há alguns meses e ainda não há confirmação de que o crime tenha causas políticas.

Ainda segundo a Polícia Civil, a Justiça local decretou um toque de recolher para as três cidades da comarca: Cantagalo, Goioxim e Virmond. A decisão é assinada pelo juiz eleitoral Brian Frank e estabelece o horário das 22h às 5h, entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro. Entre as considerações do juiz eleitoral, estão a “necessidade da garantia do direito fundamental a vida e segurança de todos os munícipes”, “o limitado contingente policial” e o assassinato de Gervásio, “enquanto, aparentemente, trabalhava na campanha eleitoral”.

A multa para quem descumprir o toque de recolher é de três meses a um ano de prisão, e os estabelecimentos que não acatarem à decisão serão multados em R$ 5 mil.