21°
Máx
17°
Min

Assista ao vídeo do assalto ao Madero

A Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (6), as imagens das câmeras de segurança do restaurante Madero, no bairro Cabral, na noite do domingo (3). Com a divulgação, a polícia pretende encontrar dois suspeitos que tiveram envolvimento com o crime. Três homens realizaram a ação dentro do restaurante, assustando clientes e deixando dois funcionários feridos. Um quarto homem também teria participado do crime, dando cobertura para a fuga dos outros suspeitos. Este atuaria como guardador de carros na região.

Dos três homens que entraram no restaurante, um foi morto em confronto com policiais militares nas proximidades do estabelecimento, logo após o assalto, e outro foi preso nesta terça-feira (5).  O jovem preso negou participação no crime. 

Segundo o delegado Pedro Felipe de Andrade, da Delegacia de Furtos e Roubos, o preso foi reconhecido por vítimas pessoalmente e também por meio de fotos e da voz. A advogada que representa o preso, Sandra Cavalcanti, afirmou na delegacia que, apesar do reconhecimento das testemunhas, o jovem não participou do crime. Ela disse que existem provas que podem comprovar que o suspeito estava em casa no momento do assalto. A advogada ainda não apresentou estas provas.


(Foto: Viviane Nonato / Massa News)

Andrade também divulgou dois retratos falados dos suspeitos que seguem sendo procurados pela polícia. Um deles se chama Patrick e o outro não foi identificado. 

O delegado ainda contou que o segurança do restaurante que trabalhava no momento do assalto não portava arma de fogo, mas feriu um dos criminosos com um golpe de faca. Suspeita-se que seja o mesmo suspeito que morreu após confronto com policiais militares.


(Foto: Marcus Carazzai / Rede Massa)

O secretário de Estado de Segurança Pública, Wagner Mesquita, também participou da divulgação das imagens e dos retratos falados. Ele disse que recebeu a solicitação de reforço de policiamento nas áreas de restaurantes na cidade. Os pedidos serão atendidos na medida do possível, de acordo com ele.

Mesquita ainda falou sobre os comentários de casos de segurança pública nas redes sociais. Ele pediu para que as vítimas e testemunhas não fiquem relatando as ocorrências apenas no ambiente virtual, mas que também façam os boletins de ocorrência. Com isto, a polícia pode investigar os crimes. 

O secretário também reforçou a necessidade de proprietários de lojas e restaurantes manterem um contato direto com a Polícia Militar e a Polícia Civil, por meio das companhias e delegacias dos bairros. Segundo Mesquita, isto pode resultar em ações de prevenção de crimes como o que aconteceu no Madero.

(Foto: Marcus Carazzai / Rede Massa)