26°
Máx
19°
Min

Audiência pública discute acesso ao Porto de Antonina

(Foto: AEN) - Audiência pública discute acesso ao Porto de Antonina
(Foto: AEN)

Cerca de 500 pessoas participaram, em Antonina, da primeira audiência pública para apresentação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (Rima) para a construção do novo acesso rodoviário ao Porto de Antonina - a PR-340. O encontro, divulgado nesta sexta-feira (17), foi realizado ontem à noite. A próxima reunião será em 6 de julho, em Morretes.

A estrada, que será construída pelo Departamento de Estadas de Rodagem do Paraná (DER), ligará Antonina à BR-277 e contará com ciclovia em toda sua extensão. O Governo do Estado deve investir R$ 170 milhões na obra.

O diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Divino, ressaltou os recentes investimentos feitos pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística para melhorar o sistema viário do Litoral. "Trincheiras estão em fase de licitação, licenciamento e construção. Além disso, recentemente, foram feitas intercessões em Morretes e Paranaguá para garantir a segurança e o fluxo de veículos nestas regiões", declarou Dividino. 

De acordo com ele, a PR-340 será uma alternativa de transporte e de desenvolvimento para as cidades de Morretes, Antonina e todo o Litoral. "Com essa obra, o governo está buscando a melhor saída para a população", completou.

As audiências - coordenadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) - têm o objetivo de esclarecer aos moradores os impactos que a obra vai causar nos dois municípios, além de coletar sugestões da população.

(Foto: AEN)(Foto: AEN)

Projeto

O coordenador técnico do DER-PR, Glauco Tavares Luiz Lobo, apresentou o projeto da PR-340 na reunião e falou sobre a atual situação do sistema viário na região. "Hoje, a rodovia que liga Morretes e Antonina está sobrecarregada, recebe tráfego pesado e tráfego de longa distância, além de apresentar conflitos de uso entre pedestres e ciclistas", relatou. Ele também mencionou dados da Polícia Rodoviária Estadual que apontam a ocorrência de 428 acidentes e 370 feridos no local, desde 2004 até maio de 2016. "A audiência pública é o momento de integrarmos o projeto com a população. A PR-340 vai reduzir o tráfego pesado que passa por Morretes e Antonina e aumentar a segurança das famílias", destacou Glauco.

O novo trecho da PR-340 terá 10,3 quilômetros, o que inclui também a ponte sobre o Rio Nhundiaquara. A nova ligação rodoviária iniciará nas proximidades do km 24 da BR-277 (Marta) e seguirá até o complexo Portuário de Antonina.  O prefeito de Antonina, João Domero, disse que atualmente o município sofre com a falta de acessos alternativos. “Uma cidade inteira não pode ser refém de uma única via de acesso. A construção desta estrada é urgente para a nossa economia e para a segurança da população das duas cidades”, disse Domero. A expectativa é que o fluxo de caminhões mais que duplique com a nova estrada, subindo dos atuais cerca de 420 por dia para em torno de mil veículos diariamente. 

Porto de Antonina

A rodovia é necessária para atender o aumento de demanda do porto e, consequentemente, fortalecer a economia dos dois municípios. De 2010 a 2015, o Porto de Antonina triplicou sua movimentação, chegando a 1,5 mil toneladas anuais. Em 2016, o crescimento do fluxo de cargas vem se mantendo com a retomada das exportações de farelo de soja pelo terminal da cidade - no primeiro trimestre a movimentação cresceu 130% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2015, o porto retomou as atividades de embarque de açúcar, que envolvem maior mão de obra e geram empregos em Antonina.

O crescimento se deve, principalmente, aos investimentos realizados no porto. O principal deles foi a dragagem, que regularizou a profundidade do canal até Antonina.

Estudo

O Estudo Ambiental apresentado na audiência pública destaca o melhor traçado para a rodovia. No documento, são apontados os impactos com a construção da estrada, as medidas ambientais e as ações mitigatórias. O EIA/RIMA sobre o novo acesso a Antonina pode ser consultado nos sites do IAP, DER-PR, Administração dos Portos de Antonina e Paranaguá (Appa) e da Secretaria de Infraestrutura e Logística.

Após a segunda audiência pública, o IAP vai avaliar a emissão da Licença Prévia para a obra e o DER-PR estará apto a contratar o projeto de engenharia e demais estudos ambientais necessários para a construção do novo acesso.

Colaboração Agência Estadual de Notícias