24°
Máx
17°
Min

Autarquia de Trânsito faz simulação de acidente para educar crianças

Autarquia de Trânsito faz simulação de acidente para educar crianças

Dois acidentes mudaram a rotina das crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Prefeito Luiz Gonzaga Pinto, nesta quinta (2) na Vila Palmeirinha, em Ponta Grossa. Felizmente, foram apenas simulações realizadas pelos agentes de trânsito da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) em conjunto com outras forças de segurança da cidade. O objetivo foi reforçar a educação recebida pelas crianças na escola.

Atentos, os olhinhos dos alunos de 4 e 5 anos observaram o acidente: uma caminhonete em alta velocidade se aproxima e atropela um pai com a filha no colo, em plena faixa elevada de pedestres. O motorista, embriagado, falava ao celular. “Tava tudo errado”, dizem as crianças. Em seguida, os pequenos veem toda a mobilização necessária em casos como este. O atendimento dos Bombeiros às vítimas, a Polícia Militar que prende o motorista que tentava fugir, a sinalização da via e a lentidão no trânsito.

Com a ação, a Coordenadora da Educação no Trânsito da AMTT, Sílvia Borges, acredita que o aprendizado será fixado nas crianças. “Transformamos a teoria em prática, para que as crianças passem a se comportar sempre executando as regras e cobrando seus pais a fazerem o mesmo. A educação deve ocorrer agora, porque são eles que podem trazer a melhoria para o que ainda não conseguimos resolver no trânsito”, acredita Sílvia.

Odnilson dos Santos, pai de uma das alunas do CMEI, é um dos idealizadores do evento. Bombeiro, ele também é voluntário para a melhoria do ensino na unidade. “Vemos muitas coisas que ocorrem todos os dias e sabemos que o envolvimento deve ocorre na base. Os adultos já tem muitos defeitos e precisamos tratar isso, mas as crianças não têm defeito nenhum. É investindo nelas que o resultado virá”, diz o pai.

Elaine Krezinski, mãe do menino Matheus, de dois anos e que estuda no CMEI, relata que a presença da travessia elevada vem inibindo a velocidade e ajuda na travessia, mas é preciso manter os cuidados. “Antes ninguém parava para a gente passar, agora melhorou muito. Mesmo assim, temos que prestar atenção”, diz a mãe.

Aprendizado

Para a diretora do CMEI, Ana Paula Gomes Moreira, a educação recebida em sala de aula, o simulado e a blitz educativa se complementam para o aprendizado. “Todos estes assuntos são tratados o ano todo e receberam atenção especial durante o Maio Amarelo. Hoje é a consolidação deste conhecimento, que eles já cobram inclusive dos pais, em casa”. A agente de trânsito mirim Letícia, uma das crianças que participaram do simulado e de uma blitz educativa que ocorreu em seguida, é enfática. “Não pode falar no celular e dirigir, nem beber. Meus pais já sabem”, conta ela.

Colaboração Assessoria de Imprensa.