24°
Máx
17°
Min

Avançam negociações entre estudantes de Maringá e governo do Estado

(Foto: Louise Fiala) - Avançam negociações entre estudantes e governo do Estado
(Foto: Louise Fiala)

Representantes dos estudantes paranaenses e o governador Beto Richa se reuniram na tarde desta segunda-feira (30) e chegaram a um primeiro acordo em relação às reivindicações dos alunos. A primeira medida foi a desocupação dos três colégios estaduais que estavam ocupados desde o último dia 18 de maio.

“As ocupações estão suspensas porque avançamos no diálogo com o Governo do Estado. Mas os estudantes continuam mobilizados para denunciar as precariedades em todos os âmbitos da escola pública”, comentou o presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (Upes), Matheus dos Santos.

Estudantes e o governador entraram em um acordo para que, nos próximos 15 dias, seja divulgado um relatório sobre a situação das obras de construção de oito escolas investigadas pela Operação Quadro Negro, com suspeita de desvio de recursos. Também será elaborado um relatório sobre as licitações para contratação dos fornecedores de merenda e a garantia de que os estudantes irão integrar o conselho da merenda, que discute a qualidade dos alimentos.

Outro ponto abordado na reunião foi a solicitação de mais nutricionistas responsáveis pelo cuidado da alimentação dos estudantes. Os alunos solicitam um profissional para cada núcleo regional de educação, o que significa 32 nutricionistas ao invés dos quatro em atuação.

“O balanço é positivo, mas temos que avançar muito mais. Estamos em alerta”, avaliou Santos. “A merenda pode ser boa, de qualidade, mas não pode ser homologada em maio. Por isso tomamos ações mais enérgicas. Houve uma falha técnica”, completou o vice-presidente da entidade, Marcelo Miranda.

Orçamento 

O secretário da Casa Civil, Valdir Rossoni, afirmou que a contratação de mais nutricionistas será feita “dentro das possibilidades orçamentárias”. “Estávamos tratando de todas as pautas, são assunto que vieram de encontro ao que o Governo do Estado estava fazendo”, comentou. “Quanto maior a participação, maior a transparência”.

Sobre as obras nas escolas, Rossini disse que duas já estão em andamento para que a licitação seja realizada. “Temos que fazer a tramitação dentro da lei. O mais importante é que está ocorrendo o diálogo”, afirmou.

Colaboração Louise Fiala