27°
Máx
13°
Min

Avião da Azul faz primeiro pouso no Aeroporto Santana

(Foto: Maira Zimermann / Rede Massa) - Avião da Azul faz primeiro pouso no Aeroporto Santana
(Foto: Maira Zimermann / Rede Massa)

Depois de 14 anos funcionando apenas para voos particulares, o Aeroporto Santana recebeu sua primeira aeronave comercial no início da tarde desta quinta-feira (30). O avião que fará a rota Ponta Grossa – São Paulo (ATR 72-600) pousou na pista de Ponta Grossa sob os olhares de autoridades como o prefeito Marcelo Rangel, o governador Beto Richa, vereadores e deputados estaduais e federais.

As obras começaram ainda em 2013 e somam R$ 10 milhões investidos para que o município voltasse a contar com voos comerciais. Embora tenha feito o primeiro pouso no novo aeroporto, a Azul informou que ainda não irá comercializar as passagens imediatamente, já que a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) precisa liberar o funcionamento da linha. A assessoria de imprensa da empresa ainda não informou uma data exata para o início das vendas.

Melhorias

O investimento da Prefeitura nos últimos três anos no Aeroporto Santana foi de R$ 10 milhões, incluindo repasses federais, estaduais e recursos próprios do município. Entre os itens da reformulação do aeroporto estão a reforma do Terminal de Passageiros e o balizamento noturno, realizados com recursos da Secretaria de Infraestrutura e Logística do Governo do Estado (R$ 1,3 milhão), além da compra do caminhão para o Corpo de Bombeiros e estruturação da Seção Contra Incêndios – com recursos da Secretaria de Aviação Civil (R$ 1,6 milhão).

A Prefeitura investiu nos equipamentos para a operação aeroportuária e atendimento a passageiros e normas de segurança, asfaltamento das áreas do entorno, marcações da pista nos padrões ANAC, estrutura e implantação da caixa d’água com 25 mil litros para combate a incêndios, além do cercamento de toda a área do aeroporto e demais adaptações. Os valores investidos também englobam as horas de trabalho de máquinas e operários para as obras de aterramento, terraplenagem da reta da cabeceira, além da estruturação da seção contra incêndios, treinamento de pessoal e equipamentos de segurança, entre outros equipamentos e serviços.

Colaboração Maira Zimermann, da Rede Massa, e Assessoria de Imprensa.