24°
Máx
17°
Min

Aviários acrescentam bom rendimento à economia de Ivaiporã

O casal Paulo Sérgio Lenharo Longo e Lucélia Sargentin Lenharo Longo esta iniciando a criação de frangos para abate. No sábado, 4, receberá a primeira carga de pintainhos da integração com a empresa Jaguafrangos, localizada em Jaguapitã, que será alojada no aviário construído no sistema Dark House, que tem capacidade para 30 mil aves. A estrutura tem área de 2100 m², ocupando pouco menos de ¼ de alqueire do sítio localizado na comunidade de Pindauvinha, bairro rural de Ivaiporã. O casal Paulo Sérgio Lenharo Longo e Lucélia Sargentin Lenharo Longo investiu R$612 mil na estrutura, incluindo equipamentos, gerador e poço artesiano. Parte dos recursos foi financiada com prazo de 10 anos para pagamento e com taxa de juros de 6,5% ao ano. Atualmente, a taxa de juros gira em torno de 8,75%.

Paulo Lenharo comentou que a decisão de investir na avicultura ganhou força com a discussão da implantação do complexo avícola no município. Há 7 meses, o casal vendeu um mercado na cidade e voltou ao sítio de 21 alqueires, onde iniciou o investimento. Além de soja, a propriedade conta com produção de leite. Agora, com o frango para abate. A expectativa é conseguir o pagamento de R$1 por frango. Como devem ser criados 180 mil frangos por ano, a granja renderá R$180 mil.

Com o pagamento do financiamento e outros custos da criação, o lucro líquido estimado é de R$60 mil por ano. Para conseguir o mesmo lucro com a soja, o produtor teria que plantar 12 alqueires. Além do lucro com a criação de frango, o casal quer aproveitar a cama de frango e utilizá-la como adubo tanto para as áreas de pastagem, como nas lavouras tradicionais.

Lucélia Longo ficará responsável pela condução da granja. Para ela, o interessante da atividade é que são poucas as ações que requer a mão de obra mais pesada e, por isso, ela mesma deve cuidar do barracão. “A estrutura é totalmente automatizada, o que facilita muito a criação, porque apenas nos primeiros dez dias a alimentação tem que ser servida de forma manual e os serviços mais pesados o Paulo [marido] vai me ajudar”, comentou a agricultora.


Mais dois novos aviários


Marcos Gevert e a esposa Sueli também estão apostando na avicultura. Na propriedade rural, localizada na região da Água da Laranjeira, estão sendo construídos dois aviários, que terão capacidade de produção de 37.500 aves cada. No entanto, a área para a construção dos aviários precisou passar por um grandioso trabalho de terraplanagem. Além do investimento de R$1,8 milhão para a edificação das duas granjas, os valores foram financiados junto ao BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul).

O médico também colocou cerca de R$400 mil com recursos próprios para a área de aterro dos barracões. As obras contemplam também a construção de uma casa para a família que ficará responsável pelas granjas, reservatório de água para 60 mil litros, geradores e poço artesiano. A construção esta atrasada em função das chuvas que dificultaram o trabalho de terraplanagem.

Marcos Gevert comentou também que a intenção é assim que observar o resultado da cultura investir em mais dois barracões. “Estou muito otimista, porque tenho visto a rentabilidade e a liquidez do negócio e, com a certificação de exportação do frango para a União Européia, é um bom negócio e quero fazer um treinamento muito bom para o meu granjeiro, visando ter o melhor resultado possível”, declarou Gevert.

Os aviários do casal Gevert devem estar prontos dentro de 4 meses – se as condições climáticas permitirem.

O avicultor Dorly Hezel está prestando consultoria a Marcos Gevert na construção dos barracões e destacou que o momento da avicultura é bom, especialmente para os produtores integrados a Jaguafrangos, que tem conseguido fornecer a alimentação, mesmo com a dificuldade que existe atualmente com a escassez de milho. 

Produção de frangos 

O veterinário da Jaguafrangos, José Tramontina Júnior, responsável pelos aviários da região, comentou que 14 novos aviários estão em fase de construção e que serão integrados ao abatedouro. Com os que estão em funcionamento, a região contará com 32 granjas e, com isso, a produção deve dobrar.

O barracão construído na propriedade de Paulo Lenharo é o segundo da região no modelo Dark House, que conta com tecnologias que proporcionam o melhor bem estar possível as aves, que fazem com que a cada animal tenha um ganho de peso mais eficiente. “O barracão proporciona um controle de temperatura e luminosidade mais eficiente e que faz com que o produtor tenha um resultado de até R$ 0,15 por animal em relação aos modelos que usam lona azul ou amarela”, informa. Atualmente, os produtores que usam essa tecnologia conseguem uma média de produção de R$ 1,05 por frango.

Quando essas novas granjas estiverem integradas, a produção apenas para a Jaguafrangos será de 500 mil aves por mês, apenas na região central. Com isso, os produtores terão uma renda a mais de aproximadamente R$ 6 milhões por ano. No entanto, o número de granjas deve aumentar, porque existem outros 32 projetos em análise para a liberação de financiamentos, tanto junto ao BRDE como junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento).

Condomínio

O diretor do Departamento Municipal de Agricultura de Ivaiporã, Adir Salla, visitou o aviário construído na propriedade de Paulo Lenharo. Ele lembrou que a Prefeitura está dando o apoio necessário para as granjas, com o cascalhamento da estrada de acesso as propriedades e apoio na terraplanagem dentro daquilo que é possível ao município apoiar.

“A empresa programou a entrega dos pintainhos para o dia 4 de junho, justamente para que a estrada estivesse em condições de tráfego e a partir de agora, as estradas onde estão os aviários terão prioridade”, comentou Salla, informando que existe a possibilidade da construção de um condomínio de 10 aviários, que será administrado de forma conjunta.

O investimento na aquisição da área ficará em torno de R$1,3 milhão e mais R$4,6 milhões para a construção dos barracões. Estão sendo montadas 10 cotas e ele espera que dentro de 60 dias tenha os interessados. “Com essa estrutura teremos uma produção de 300 mil frangos a cada 60 dias”, ressalta. A área escolhida para o condomínio será a cabeceira do sítio de Paulo Lenharo, que se dispôs a comercializar 3 alqueires de sua propriedade”, disse.

Implantação do abatedouro de frango

O ex-presidente do Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Ivaiporã (Codesi), Miguel Roberto do Amaral, que acompanhou o início da implantação do projeto avícola em Ivaiporã, comentou a entrada de novos aviários fortalece o processo de construção da fábrica de ração e consequentemente do abatedouro de aves. Com a entrada das novas granjas em construção e aquelas que aguardam a liberação de recursos, a estimativa é que em 2017 estejam em funcionamento 90 aviários integrados à Jaguafrangos. “Segundo estudos da empresa, para iniciar o abate na região, são necessárias pelo menos 90 granjas. Acredito que dentro de 2 anos será possível e teremos o frigorífico funcionando na região”, disse Miguel Amaral.

O prefeito Carlos Gil informou que a Prefeitura fez a aquisição e pagou a área de 10 alqueires, onde será construída a fábrica de ração e o abatedouro. “Atualmente, o processo está no Cartório de Registro de Imóveis, onde está sendo realizada a transferência dos proprietários para o município e do município para a empresa, o que deve concorrer dentro dos próximos 30 dias”, disse o prefeito Carlos Gil.

A Agroindustrial Vale do Ivaí é a empresa criada para a construção dos aviários e tem 83% das cotas adquiridas pela Jaguafrangos e outros 17% de sócios de vários municípios da região.

Assim que a documentação estiver em nome da nova empresa, devem iniciar os preparativos para a construção da fábrica de ração, que será edificada em uma área de 2 alqueires, próxima ao Alto Porã.

O prefeito Carlos Gil comentou que se trata de um momento importante para o investimento na avicultura e mencionou que o apoio técnico que a Jaguafrangos está dando aos produtores da região tem animado os avicultores. “Parece-me que as outras empresas não tinham essa atenção que a Jaguafrangos está dando a nossa região”, disse. O prefeito ressaltou que o rendimento da atividade tem se tornado uma opção interessante de diversificação, porque o resultado financeiro é muito bom em comparação com a área que é ocupada pela atividade. “Com certeza, a chegada desses novos aviários vai fortalecer a economia da região e diversificar a produção agropecuária”, finalizou o prefeito de Ivaiporã.