28°
Máx
17°
Min

Bancários entram em greve na próxima terça

(Foto: Arquivo / EBC) - Bancários entram em greve na próxima terça
(Foto: Arquivo / EBC)

Os bancários decidiram, em assembleia na noite desta quinta-feira (1º), entrar em greve a partir da próxima terça-feira (6). A categoria pretende pressionar a Federação Nacional dos Bancos (Febraban) a avançar na negociação salarial.

De acordo com o presidente Sindicato dos Bancários, Elias Jordão, a proposta apresentada pela Febraban foi rejeitada por 100% dos participantes da reunião. “Foi uma assembleia muito representativa e a proposta era insuficiente”, avaliou. Ele disse que espera uma grande adesão da categoria na greve.

Entre as principais reivindicações da categoria estão reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real e 9,31% de correção da inflação; participação nos lucros e resultados de três salários mais R$ 8.297,61; piso salarial de R$ 3.940,24; vales-alimentação, refeição, décima-terceira cesta e auxílio-creche/babá no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880); 14º salário; fim das metas abusivas e assédio moral; fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e à precarização das condições de trabalho; mais segurança nas agências bancárias e auxílio-educação.

A proposta da Fenaban foi de reajuste de 6,5% mais R$ 3 mil de abono para os trabalhadores. O Comando Nacional dos Bancários diz que essa proposta representa perda real de 2,8% (ao se descontar a inflação de 9,57%).

Atendimento

Jordão destacou que, apesar do contingente mínimo nas agências e dos canais alternativos de atendimento oferecidos pelos bancos, a população deve se preparar para a greve. “Em cumprimento aos prazos legais, divulgamos a greve para o dia 6. Acredito que até o dia 5 é um bom prazo para que a população resolva suas pendências”, disse.