24°
Máx
17°
Min

Biblioteca e quadra esportiva ainda não são realidade em todas as escolas municipais

(Foto: Reprodução / Sismuc) - Biblioteca e quadra não são realidade em todas as escolas municipais
(Foto: Reprodução / Sismuc)

Nem todas as escolas municipais de Curitiba possuem biblioteca ou quadra poliesportiva, ferramentas importantes para a educação das crianças. Um dos compromissos da atual gestão da prefeitura de Curitiba era “garantir que todas as escolas disponham de bibliotecas e de quadras poliesportivas cobertas nas áreas disponíveis”.

Dados da prefeitura indicam que, das 185 escolas da rede, 179 contam com bibliotecas escolares. “Nove foram entregues nesta gestão e três estão em construção, além de duas novas gibitecas e a revitalização dos Faróis do Saber. Seis escolas onde há falta de espaço terão bibliotecas adaptadas em outros formatos”, traz a nota enviada pela administração municipal sobre o assunto. A prefeitura não informou quando esta adaptação deve acontecer para que a meta seja atingida até o final do ano.

Quanto às quadras, há casos de escolas que podem terminar esta gestão sem o espaço estruturado. A situação foi apresentada pelo Massa News no dia 30 de agosto, a partir de uma denúncia do Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc). Na ocasião, a entidade mostrou a situação das escolas municipais Cecília Westphalen, no bairro Sítio Cercado; Jurandir Mockel, no Pinheirinho; e Santa Ana Mestra, no Campo do Santana. As obras nas quadras cobertas destas escolas vão ser retomadas apenas neste ano.

Segundo informações da prefeitura, nos últimos três anos e meio foram inauguradas 12 quadras cobertas. Há mais cinco quadras em execução e outras cinco em processo de licitação. Outras duas estão previstas na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2016, outra na LOA de 2017 e uma quadra está em reconstrução. Segundo a administração municipal, das 185 escolas da rede municipal, 170 têm o espaço assegurado.

Dezoito escolas da rede municipal não contam com quadra. A prefeitura argumenta que a construção não foi possível por conta da falta de espaço ou problemas com a regularização de áreas e terrenos.

Como no início de setembro ainda há quadras em processo de licitação e três previstas em LOA - inclusive uma no ano que vem -, o compromisso não deve ser cumprido integralmente pela atual gestão.