Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Bombeiros registram 512 afogamentos nos primeiros 20 dias de temporada de verão

(Foto: Divulgação / Soldado Feliphe Aires) - Bombeiros registram 512 afogamentos desde o começo da temporada
(Foto: Divulgação / Soldado Feliphe Aires)

Desde o começo da temporada de verão, o Corpo de Bombeiros registrou 512 afogamentos no Litoral do Estado. Entre as vítimas, quatro pessoas morreram. Além disso, 318 crianças se perderam/foram encontradas e foram distribuídas 17.262 pulseiras de identificação.

O Corpo de Bombeiros reforça as orientações de segurança aos veranistas. O banhista deve se orientar com base nas bandeiras de sinalização, que ficam dispostas em pares na praia e indicam que a área conta com um posto de atendimento e guarda-vidas. A bandeira verde significa que a água está tranquila para a prática de banho e natação.

Também é importante estar atento com a corrente de retorno: ao perceber que está em uma corrente de retorno a pessoa deve manter a calma. O ideal é não gastar energia nadando contra a maré e olhar para os dois lados, para determinar a direção que está mais perto para sair da corrente. É importante nadar lateralmente em sentido paralelo à areia da praia até sair da corrente e nadar em direção à praia quando já estiver fora da corrente de retorno.

“As dicas servem para auxiliar o banhista nestes casos, porém os guarda-vidas sempre alertam sobre os riscos de se banhar em locais com incidências de corrente de retorno. É preciso que as pessoas fiquem atentas às sinalizações”, afirma a porta-voz do Corpo de Bombeiros no “Verão Paraná 2016/2017”, tenente Virgínia Maria Zambrim Turra.

“Ao ingerir bebidas alcoólicas nunca entrar na água; crianças, idosos ou portadores de necessidades especiais sempre um braço de distância do responsável e observação constante na areia; ao adentrar no mar nunca perto de pedras, pois as pessoas podem se machucar. Nos casos de rios a força da água não está necessariamente relacionada com a profundidade e sim a velocidade, então se tem uma correnteza intensa procure entrar com a água na canela, a pessoa pode ser derrubada e arrastada, levada para uma região profunda”, orienta a tenente Turra.

A exposição ao sol também exige atenção, pois pode causar desidratação e sintomas como tonturas e desmaios, que podem levar ao risco de afogamento. A orientação é ingerir bastante líquido, usar protetor solar e procurar a exposição solar nos horários apropriados, ou seja, no início da manhã e no final da tarde.

Operação Verão 2016 / 2017

512 afogamentos

4 mortes

11.816 advertências

27.785 orientações

318 situações de crianças perdidas/encontradas

17.262 pulseiras distribuídas.

89 postos de guarda-vidas

661 profissionais para prevenção e perigo (644 bombeiros militares e 17 guardas-vidas civis)

Colaboração Operação Verão