28°
Máx
17°
Min

Budel pede para deixar cargos que ocupa após prisão na Operação Pecúlio

O anúncio foi feito pelo advogado que defende o engenheiro. Carlos Juliano Budel, foi um dos presos nesta manhã, na segunda fase da Operação Pecúlio. O mandado é preventivo. Conforme o advogado, Carlos Juliano Budel pediu para que ele redigisse o pedido de exoneração da Foztrans e da Secretaria de Obras. As duas funções eram acumuladas pelo servidor.

Além de Budel, outro funcionário da prefeitura foi preso, mas a Polícia Federal preferiu em não divulgar o nome dele nem o cargo ocupado, no entanto a prefeitura encaminhou uma nota à imprensa dizendo que o diretor de pavimentação da Sec. de Obras, Aires Silva, também pediu exoneração, após ser detido na operação.

 A investigação apura crimes de corrupção e fraudes em licitações que favoreceram servidores e empresários. Além dos contratos já investigados, há indícios de irregularidades em outros que devem ser analisados. As quatro pessoas presas na primeira fase da operação, ainda continuam na cadeia.

A defesa de Budel considerou a prisão desnecessária. O caso segue em investigação.

Confira a nota da prefeitura:

  • Em decorrência dos fatos registrados na manhã desta terça-feira (03) a prefeitura municipal de Foz do Iguaçu, exonerou o secretário municipal de obras e diretor superintendente do Foztrans, Carlos Juliano Budel e o diretor de Pavimentação, Aires Silva, decisão essa que veio de encontro com a solicitação dos mesmos.
  • A administração municipal tomará as medidas internas para a apuração dos fatos.Ainda durante o transcurso da semana deverá ser anunciado os novos titulares das pastas.

Colaboração: Vinícius Machado / Rede Massa e Assessoria de imprensa