22°
Máx
17°
Min

Caminhada do Orgulho Louco acontece nesta sexta-feira

(Foto: Divulgação) - Caminhada do Orgulho Louco acontece nesta sexta-feira
(Foto: Divulgação)

Com o objetivo de incentivar a inclusão e combater o preconceito, acontece nesta sexta-feira (7) a V Caminhada do Orgulho Louco. Com o tema 'Os direitos da pessoa com transtorno mental', o evento que já vai para sua quinta edição pretende reunir mais de 300 pessoas, entre funcionários do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), que está organizando a atividade, além de usuários do serviço e comunidade. A caminhada é uma promoção da Prefeitura de Castro, através da Secretaria Municipal de Saúde.

O percurso inicia no Caps, na rua Cipriano Marques de Sousa, 116, seguindo até a Prefeitura,  retornando pela rua Pedro Kaled em direção a igreja Matriz, seguindo então pela rua Pandiá Calógeras, encerrando na Praça João Gualberto, com a soltura de balões.

De acordo com a psicóloga e responsável pela Divisão de Saúde Mental do município de Castro, Lucimar Coneglian, o tema deste ano foi escolhido com o intuito de mobilizar as pessoas para este assunto. “A principal mensagem que objetivamos passar é que além do sofrimento psíquico existe uma pessoa, e o estigma e o preconceito só acabam acarretando o aumento desse sofrimento.  Esperamos realmente, atrair a atenção das pessoas para algo que é tão presente em nossa sociedade  e que precisa ser tratado com um novo olhar, contribuindo com a inserção destes pacientes que enfrentam essa realidade diariamente e findando o preconceito. Por isso convidamos a todos para participar desse movimento junto conosco nesta sexta-feira”, ressalta.

Além de usuários e familiares, a caminhada contará com representantes da Associação de Pais e Amigos de Excepcionais (Apae), além dos estudantes do curso de psicologia da Faculdade Santana, que levarão faixas, cartazes, durante a caminhada. Mesmo com chuva, desde que fraca, a caminhada acontece.

CAPS

O Centro de Atendimento Psicossocial de Castro atende pessoas em sofrimento mental, visando a reinserção social pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

O Caps conta com uma equipe multiprofissional de nível superior e médio composta por psicólogos, enfermeiro, assistente social e auxiliar de enfermagem, além de professores para as várias atividades desenvolvidas no local, entre elas, a psicoterapia individual ou grupal, oficinas terapêuticas, acompanhamento psiquiátrico, visitas domiciliares, orientação, inclusão das famílias e atividades comunitárias

Atualmente, 500 pacientes são atendidos na unidade. Semanalmente são realizadas reuniões dos funcionários com o objetivo de melhorar cada vez mais o atendimento aos usuários e à comunidade.

Colaboração Assessoria de Imprensa.