21°
Máx
17°
Min

Caso raro: anta gêmea gera primeiro filhote em cativeiro

O filhote tem apenas vinte e sete dias e é atração da reserva. Não só por ser um dos mais novos moradores, mas também por ser filho da Amada, que também nasceu em cativeiro em 2011.

E para a surpresa dos especialistas teve um irmão gêmeo, o Bio. Casos assim são considerados extremamente raros. O filhote ainda não tem nome, nasceu no dia 23 de abril pesando seis quilos.

É o décimo quarto nascido no refúgio biológico de Itaipu, faz parte do programa de reprodução em cativeiro. Quando completar um ano vai ser transferido para um recinto maior e conviver com outros animais da mesma espécie.

O refúgio abriga hoje pelo menos 300 animais, são cerca de 60 espécies entre elas dez antas, seis machos e quatro fêmeas e mais filhotes estão a caminho. Depois de nos receber, o simpático filhote cansado dos holofotes foi para o aconchego da mãe descansar.

Colaboração: Cris Neres e Carlos Eduardo / Rede Massa