22°
Máx
17°
Min

Cesta básica de PG tem alta de 0,38% em fevereiro

Foto: IDEME - Cesta básica de PG tem alta de 0,38% em fevereiro
Foto: IDEME

Pelo quinto mês consecutivo, a cesta básica do ponta-grossense apresenta preços em alta. A pesquisa de fevereiro apontou aumento de 0,38%, na aquisição dos 34 produtos do levantamento realizado pelo Núcleo de Políticas Públicas Rouger Miguel Vargas (NPP) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). De R$ 551,10, em janeiro, agora compra subiu para R$ 553,20. Em setembro, quando a cesta básica apresentou queda de 0,89%, a despesa era de R$ 508,07%.

Em outubro, pela pesquisa da UEPG, a cesta apresentou alta de 2,14%; despesa de R$ 518,93%. Já em novembro, os preços subiram 3,42%, elevando a soma da compra para R$ 536,67%. Em dezembro, o aumento foi de 1%, elevando o custo da cesta para R$ 542,07%. No primeiro mês de 2016, novo reajuste para cima, com índice de 1,67%, com a despesa com a cesta subindo para R$ 551,10.

De R$ 551,10, em janeiro, agora compra subiu para R$ 553,20.

O Índice Cesta Básica é aferido mensalmente pelos técnicos do NPP/UEPG, com base nos hábitos de consumo (alimentação, higiene e limpeza) de famílias ponta-grossenses, com até três membros e renda entre um e cinco salários mínimos. Os preços registrados na primeira semana de cada mês são comparados com os valores anotados no mesmo período do mês anterior.

Variações

Em fevereiro, dos 34 produtos da cesta básica, 15 tiveram redução de preços; e 19 sofreram aumentos. O destaque do mês vai para a banana, cujos preços foram reajustados em 11,54%. Batata registrou a maior queda no período, 15,27%. Ambos pertencem ao grupo hortifrutigranjeiros, que teve queda de 8,56%, em média.

O grupo carne teve a maior elevação no mês, com índice de 3,44%. A carne bovina subiu 4,03%; e a carne de frango, 1,73%. Entre os itens de alimentação geral, os preços foram majorados em 0,96%, destacando-se o café, com variação para mais de 5,98%; e a bolacha, variação para menos de 4,81%.

Em fevereiro, dos 34 produtos da cesta básica, 15 tiveram redução de preços e 19 sofreram aumentos

Na seção de produtos de limpeza, os preços cresceram 2,28%. No grupo, o desinfetante teve a maior alta, 8,01%; e o amaciante, a maior queda, 3,28%. Nas prateleiras de produtos de higiene, houve queda de preços, 0,14%. O desodorante registrou aumento de 4,24%; e o sabonete com 8,30%.

Na comparação com o valor do salário mínimo (R$ 880), os técnicos da UEPG constataram que, para adquirir todos os produtos da cesta básica, uma família com renda mínima gastaria 70,20% do seu orçamento, restando 29,80% para as demais despesas da casa. No caso de famílias com renda de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, a despesa seria de 35,10%; 23,40%; 17,55%; e 14,04% dos seus proventos.

  • - Grupo que mais aumentou: Carnes - 3,44%
  • - Produto de maior elevação: Banana - 11,54%
  • - Grupo de maior queda: Hortifrutigranjeiros - 8,56%
  • - Produto de maior queda: Batata - 15,27%

Colaboração Assessoria de Imprensa.