24°
Máx
17°
Min

Coleta de lixo vai continuar com empresa em Maringá; município alega que é ineficiente

Município tem cerca de 200 servidores para o serviço enquanto empresa possui 60 (Foto: Alex Magosso/Rede Massa) - Coleta de lixo segue com empresa; município alega que é ineficiente
Município tem cerca de 200 servidores para o serviço enquanto empresa possui 60 (Foto: Alex Magosso/Rede Massa)

A Prefeitura Municipal de Maringá reassumiria nesta quinta-feira (8) a coleta de lixo, após uma liminar da Justiça suspender o contrato com a empresa Constroeste, porém, informou que conseguiu derrubar a medida. Os servidores municipais saíram apenas para recolher folhas nesta quinta-feira e a empresa deve seguir com o serviço.

O chefe de gabinete de Maringá, Luiz Carlos Manzato, declarou que a liminar foi derrubada na terça-feira (6), porém, não foi publicada, pois Curitiba emendou feriados e deve sair somente na próxima semana.

O Ministério Público ajuizou uma ação para anular o contrato entre município e Constroeste, pois alega que há indícios de superfaturamento e faltam elementos técnicos para justificar a terceirização, assim como os valores elencados para pagamento.

Já Luiz Carlos Manzato defende que os preços praticados são de mercado.

Quantidade

O município conta com mais de 20 caminhões e cerca de 200 servidores para a coleta enquanto a Constroeste vai atuar com 17 veículos e 60 trabalhadores. Mesmo com números reduzidos, o chefe de gabinete alega que a contratação é necessária para eficiência.

“A empresa é muito mais eficiente, faz mais com menos”, declarou. Ele ainda argumentou a morosidade do serviço público para contratações e demissões, além dos custos.

Questionado se o município não possui mecanismo para fiscalizar o serviço e torná-lo eficiente, já que possui quase quatro vezes mais trabalhadores, Manzato disse que a ineficiência é um problema antigo na administração pública.

Ou seja, mesmo com um fiscal de contrato, o município não consegue entregar um serviço eficiente de coleta de lixo e registra cerca de 300 reclamações por mês.