23°
Máx
12°
Min

Comandante-geral da PM é indiciado por coletes vencidos e critica Delegacia de Explosivos, Armas e Munições

(Foto: Divulgação) - Comandante-geral da PM é indiciado por coletes vencidos
(Foto: Divulgação)

Em nota divulgada no site da Associação de Praças do Estado do Paraná (Apra), o comandante-geral da Polícia Militar (PM) do Paraná, coronel Maurício Tortato, comentou a investigação conduzida pela Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (Deam) sobre o uso de coletes balísticos vencidos pela corporação. Tortato foi indiciado e classificou a situação como “impertinente”.

O comandante-geral alegou que assim que foi identificado o problema, as medidas realizadas pelo Comando-geral foram pautadas "na plena transparência e no compromisso de garantir condições de trabalho e segurança aos Militares Estaduais". Ele argumentou que não era possível substituir imediatamente nem recolher o material. "Havia a necessidade urgente de se garantir que os coletes disponíveis cumprissem com a finalidade a que se destinam, garantindo segurança dentro das especificações técnicas".

No texto destinado aos militares do Paraná, o comandante afirmou ainda que os coletes foram mantidos no emprego operacional "até a construção de uma variável de solução". Uma empresa teria, então, solucionado o problema com a "inserção de placas antitrauma e de eficiência balística", procedimento que o comandante afirma já ter sido utilizado em outras ocasiões.

"Todas as medidas foram comunicadas na forma regulamentar as autoridades que, com maior ou menor intensidade, possuíam responsabilidades e competências sobre os processos. Tortato também criticou a condução da Deam, ao afirmar que a secretaria "destacou em seu relatório aquilo que mais lhe convinha para justificar suas ações".

A Polícia Militar informou que não irá se manifestar sobre o caso. Em nota, a Polícia Civil divulgou que “não interfere e respeita o entendimento jurídico de cada delegado que preside os inquéritos policiais” e que também “não há dúvida da boa-fé do Comando-Geral da Polícia Militar na estrutura oferecida aos servidores das instituições”.