20°
Máx
14°
Min

Comissão Processante julga improcedente denúncia contra Luizinho Gari em Maringá

(Foto: Câmara Municipal de Maringá) - Comissão Processante julga improcedente denúncia contra Luizinho Gari
(Foto: Câmara Municipal de Maringá)

Na Câmara Municipal de Maringá, a Comissão Processante que analisa a denúncia de quebra de decoro parlamentar contra o vereador Luizinho Gari (PP) julgou improcedente a acusação. Na tarde de terça-feira (14), a relatora Márcia Socreppa (PTB) apresentou o relatório preliminar, que recebeu o apoio do presidente Mário Verri (PT) e do membro Ulisses Maia (PDT).

O Fórum Maringaense de Mulheres havia denunciado o vereador depois que ele ficou preso por 11 dias no fim de março, acusado de ameaçar a ex-esposa Camila de Lima. Ele descumpriu a medida protetiva que vigorava em favor da mulher.

Os vereadores da Comissão Processante avaliaram que não há qualquer dispositivo no regimento do Legislativo que enquadre a prisão em quebra de decoro parlamentar. Por isso, a avaliação pela denúncia improcedente que será enviada para análise em plenário.

Luizinho Gari ainda é alvo de uma segunda comissão, que apura uma carta com ameaças enviada ao presidente da primeira CP, Mário Verri. Vereadores inclusive foram à Polícia Civil para cobrar providências em relação ao caso na última semana.

Colaboração Murilo Gatti da rede Massa