28°
Máx
17°
Min

Comunidade deve denunciar exploração sexual de crianças e adolescentes

(Foto:Arquvo Rogério Machado/SEDS) - Comunidade deve denunciar exploração sexual de crianças e adolescentes
(Foto:Arquvo Rogério Machado/SEDS)

A participação da comunidade para denunciar os casos de exploração sexual de crianças e adolescentes é fundamental para combater este crime. Para isso, existe o Dique-denúncias 181, que recebe informações sobre casos de exploração sexual e as encaminha para investigação ou abordagem imediata.

“Todas as denúncias de suspeita de crime podem ser feitas diretamente pelo Disque-Denúncia 181, gratuitamente, pelo telefone ou também pelo nosso site. É garantido o anonimato de quem denuncia e as informações são repassadas aos órgãos voltados à proteção infantil e de adolescentes, como as delegacias responsáveis pelos casos e o Ministério Público”, reforça o coordenador do serviço, capitão Edivan Fragoso.

É importante que o denunciante forneça o máximo de informações sobre a situação, como localização e horários em que ocorre a violação do direito das vítimas. A denúncia pode ser feita por qualquer telefone ou pelo site www.181.pr.gov.br. Em Curitiba, é possível ainda fazer denúncias diretamente ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crime (Nucria), pelo telefone (41) 3270-3370.

Dados da exploração

  • Em 2015, meninas com idade de um a seis anos foram as que mais tiveram os seus direitos violados
  • Também no ano passado, as principais violações de direitos foram abuso sexual (1.726), seguido por violência física (1.175)
  • Até abril deste ano, foram denunciados 197 casos diversos de violências contra crianças e adolescentes

Fonte: Disque-denúncia 181

Colaboração Agência de Notícias do Paraná