26°
Máx
19°
Min

Condenada por matar empregada, Vanda Pepiliasco é presa no Mato Grosso

A artista plástica Vanda Pepiliasco foi presa na manhã desta quinta-feira (1º) em Cuiabá, Mato Grosso. Ela foi condenada pela morte da empregada doméstica Cleonice Fátima Rosa, então com 22 anos, em um apartamento na Rua Goiás, centro de Londrina, em 10 de julho de 1993.

Vanda foi a júri popular em maio do ano passado, mas  tanto o Ministério Público quanto a defesa recorreram da decisão, e ela teve a pena revisada pelo Tribunal de Justiça para oito anos e quatro meses de prisão. No final de julho, a defesa da artista plástica conseguiu um habeas corpus no Tribuna de Justiça do Paraná.

A 11ª Promotoria do Ministério Público de Londrina recorreu da decisão e um novo mandado de prisão foi expedido pela juíza da 1ª Vara Criminal, Elizabeth Khater.

O promotor responsável pelo caso, Ricardo Alves Domingues, confirmou que o pedido foi motivado pelo novo entendimento do Supremo Tribunal Federal sobre a prisão de condenados em segunda instância. "Ela começa a cumprir pena aqui em Londrina. Não é possível saber quando chega, pois isso depende das forças de segurança do Mato Grosso  e do Paraná. Se deseja que faça justiça em um caso que ocorreu há muito tempo e que se possa dar uma resposta para que não fique essa sensação de impunidade", afirmou. 

O advogado de Vanda Pepiliasco, Walter Bittar, afirmou estar surpreso com a prisão, já que havia um habeas corpus concedido pelo TJ que reconhecia plausível os argumentos que pediam a nulidade do julgamento. “Não alterou em nada o fato, já que na época em que foi concedido o habeas corpus já tinha a execução provisória reconhecendo nosso argumento de que houve cerceamento de defesa no caso”, afirmou.

 Questionado sobre um novo pedido de habeas corpus, o advogado disse  que aguarda apenas ter acesso aos documentos para impetrá-lo.