24°
Máx
17°
Min

Confira o depoimento da esposa acusada de matar policial antes de ser presa

Ellen Federizzi foi presa na manhã desta quinta-feira (11), suspeita de matar o policial militar e marido, Rodrigo Federizzi, de 32 anos, a tiros. O PM tinha desaparecido no dia 28 de julho e dois dias depois, a mulher registrou o desaparecimento dele para a Polícia Civil. As investigações, no entanto, apontaram que Ellen pode ser a autora do crime.

A Rede Massa chegou a conversar com a mulher na semana passada. Em depoimento ao repórter Ricardo Vilches, ela afirmou que ainda acreditava que o marido estava vivo. “Meu coração está dizendo que ele está em algum lugar bem, mas não está conseguindo fazer contato. Não tenho a sensação de que o pior tenha acontecido”, afirmou.

De acordo com a própria mulher, o soldado saiu de casa no dia 28, com a arma da corporação e uma quantia em dinheiro, para investigar por conta própria um assalto que Ellen tinha sido vítima. Na ocasião, inclusive, ela teria sido estuprada pelos criminosos. Para o repórter Ricardo Vilches, ela preferiu não entrar em detalhes. “Foi uma situação muito constrangedora, acho que agora fica a caráter da polícia fazer a investigação, se realmente está relacionado a isso.”

A mulher ainda afirmou que estranhou a atitude do soldado, mas não questionou, porque ainda estava “muito abalada” pela situação que tinha passado durante o assalto. “Foi uma atitude que me surpreendeu. Mas como eu ainda não estava muito bem, eu nem questionei muito. Mas eu fiquei preocupado, porque ele não me falou com quem estava indo”, explicou a mulher.

Por fim, bastante emocionada, Ellen fez um apelo ao marido. “Amor, se você estiver vendo isso, volta logo para casa, que a gente não aguenta mais essa situação”, pediu a mulher, chorando bastante.

A prisão

A prisão aconteceu depois que a Polícia desconfiou da versão de Ellen. Com uma investigação mais aprofundada e com o depoimento do filho do casal, um menino de 12 anos – que ouviu um tiro na noite do dia 28 –, a suspeita de que a mulher matou o soldado começou a se concretizar.

Além disso, chamou a atenção da Polícia o fato de que a mulher apenas registrou o desaparecimento no dia 30, dois dias depois que Rodrigo havia sumido. De acordo com a perícia, o carro do casal, que tinha sido lavado por Ellen, apresentava indícios de sangue. Com tudo isso, a mulher foi preventivamente presa na manhã de hoje. O próximo passo da Polícia é tentar achar o corpo do soldado.

Motivação

Para a Polícia, duas possibilidades podem ter motivado o crime: um relacionamento extraconjugal de Ellen ou dinheiro. De acordo com a investigação, a mulher tinha perdido a aliança de casamento e alegou ao marido que tinha sido assaltada e estuprada. No entanto, para a Polícia, o crime provavelmente nem aconteceu.

 Por outro lado, para a Polícia, o crime pode ter sido motivado porque Ellen estava precisando de dinheiro e estava pedindo, emprestado para a família. Com a morte do marido, de acordo com a Polícia, a mulher receberia uma herança ou uma indenização.