22°
Máx
14°
Min

Confundido com traficante, militar teria sido morto por engano

A Polícia Civil de Arapongas investiga a morte do soldado do Exército Gregori Ferreira, de 20 anos, assassinado a tiros na noite de quinta-feira (7).

Segundo o delegado-chefe da 22ª Subdivisão Policial, Osnildo Carneiro Lemes, o integrante do 30º Batalhão de Infantaria Motorizada de Apucarana teria sido morto por engano. “Eles erraram o alvo. A vítima estava em uma moto igual a de um traficante que seria executado por rivais”, apontou. Uma testemunha do homicídio teria ouvido o atirador comentar, logo após o crime, que tinha atingido a pessoa errada. “Estamos acostumados a ver traficante matando traficante. Quando um jovem inocente perde a vida por uma infelicidade, lamentos muito”, completou.

Ferreira foi atingido por seis tiros na cabeça e no tórax. Lucas Gabriel da Silva, que estava com ele na motocicleta, foi baleado no braço, encaminhado ao Hospital João de Freitas pelo Samu, e não corre risco de morte.

O carro usado pelos atiradores foi abandonado ainda na noite de quinta na avenida Maracanã, conjunto Águias, também em Arapongas. Segundo a PM, o carro estava abandonado, marcas de disparo por arma de fogo e uma cápsula de munição 9 milímetros.

(colaborou Silvia Vilarinho/Rede Massa)