22°
Máx
17°
Min

"Confusão" marca homenagem ao Dia da Mulher na Defensoria

A manhã do Dia Internacional da Mulher começou tumultuada no Centro de Atendimento Multidisciplinar da Defensoria Pública do Paraná, em Curitiba. Durante uma apresentação do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (NETP), ligado à Secretaria Estadual da Justiça (Seju), um homem que esperava para ser atendido se manifestou e fez ameaças à mulher que o acompanhava. Outras pessoas que aguardavam atendimento – e ouviram as ameaças de agressão – se revoltaram e quase chamaram a polícia para prender o homem.

Mas tudo não passava de uma encenação promovida pelo Jovens Com Uma Missão (Jocum), grupo internacional que reúne diversas denominações religiosas e é parceiro do NETP.  Ao final, o público recebeu orientações de como proceder em caso de presenciar situações como essa. A orientação é ligar para  o Disque 100 e 180, que são os números do Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos e da Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Violência contra a mulher

A intervenção teve como objetivo chamar a atenção dos presentes para a violência contra as mulheres, as principais vítimas do tráfico de pessoas. “Com base nos casos registrados no Aeroporto Internacional de Guarulhos, o número de mulheres paranaenses deportadas na Europa só perde para os números dos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo”, explica a advogada Silvia Cristina Xavier, coordenadora do NETP e idealizadora da intervenção realizada na Defensoria Pública. Segundo ela, os principais fatores que impulsionam as mulheres a serem as maiores vítimas do tráfico humano são a falsa promessa de emprego ou relacionamentos afetivos com aliciadores.

A ação desta manhã também contou com a participação de Salete Inês Acari, da Rede “Um Grito pela Vida”, organização intercongregacional formada por aproximadamente 150 religiosas de diversas regionais e congregações. Esteve presente também a estagiária do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Marjorie Hipólito e uma maquiadora, que presenteou as mulheres que aguardavam atendimento com uma maquiagem.

Informações Defensoria Pública do Paraná