24°
Máx
17°
Min

Contas da Câmara têm irregularidades; Paulo Salamuni afirmou que está tranquilo

(Foto: Divulgação/SMCS) - Contas da Câmara têm irregularidades; Paulo Salamuni afirmou que está tranquilo
(Foto: Divulgação/SMCS)

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) julgou irregulares as contas de 2013 da Câmara Municipal de Curitiba (CMC). À época, a presidência do Legislativo era exercida pelo vereador Paulo Salamuni (PV). O parlamentar foi multado em R$ 1.450,98, em virtude da irregularidade das contas. Cabe recurso da decisão.

O motivo da desaprovação das contas foi a falta do repasse de R$ 79.497,24 de contribuição patronal ao regime próprio de previdência social (RPPS). Esse valor corresponde à diferença entre o montante devido e o efetivamente recolhido ao Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba (IPMC) e à Paraná Previdência. Essa irregularidade não foi justificada na prestação de contas enviada pela Câmara ao Tribunal.

Na defesa, a Câmara argumenta que uma das causas dos atrasos foi a exoneração e o falecimento de servidores encarregados do trabalho. O Tribunal, no entanto, recomendou que o Legislativo da capital melhore seus procedimentos administrativos para evitar a repetição dessa falha.

O vereador Paulo Salamuni afirmou que está tranquilo em relação à decisão do Tribunal. Segundo ele, se trata de um problema estritamente administrativo e burocrático. “Eu já tinha explicado o que havia acontecido para o Tribunal, provavelmente a gente perdeu algum prazo. Mesmo assim, vou atender o que o TCE está pedindo”, afirmou o vereador. “Isso não tem nada a ver com improbidade administrativa. Existem milhares de procedimentos na Câmara e a gente deve ter perdido algo”, finalizou.

Colaboração: Assessoria de Imprensa do TCE-PR