24°
Máx
17°
Min

Convênio permite acesso a dados meteorológicos

(Foto: Divulgação)  - Convênio permite acesso a dados meteorológicos
(Foto: Divulgação)

A partir desta semana, a Defesa Civil de Francisco Beltrão pode acessar diversos satélites e informações sobre o tempo que podem antecipar catástrofes naturais e amenizar seus danos no município. Convênio formado pela Prefeitura com o (Centro de Monitoramento e Alertas de desastres Naturais (Cemaden) permite o acesso às plataformas com dados em tempo real, apoio técnico e a cessão de equipamentos de monitoramento para a cidade.

“É algo inédito e muito importante para que possamos ter um monitoramento eficiente a partir dos dados cadastrados e mapeados como áreas de risco. Essas informações nos permitirão ter maior precisão e se antecipar e emitir sinais de alerta em caso de possível catástrofe”, explica o secretário de Assuntos Estratégicos e Defesa Civil, Adams Brizola.

A partir do convênio, Beltrão passa a integrar um sistema nacional de monitoramento de desastres naturais desenvolvido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e que responde o crescimento da ocorrência de fenômenos naturais no país.

O convênio permite o acesso em tempo real a mais de dez satélites de diferentes instituições e à plataforma com dados históricos e em tempo real sobre o tempo. Por exemplo, quando houver a aproximação de áreas de instabilidade com previsão de grande precipitação pluviométrica, a Defesa Civil pode retirar famílias de áreas de risco propícias a alagamentos e deslizamentos.

Para o prefeito Antonio Cantelmo Neto, a ferramenta permitirá no futuro a construção de um centro municipal de monitoramento destes fenômenos. “Nos últimos dois anos a Defesa Civil passou a operar de uma forma mais proativa, construindo parcerias, e o caminho será um centro específico para o estudo e monitoramento dos fenômenos que acometem Beltrão e suas soluções”, pontua Neto.

Além do acesso às plataformas, o convênio também permite apoio técnico de especialistas para Beltrão e a instalação de equipamentos como pluviômetros, estações e radares meteorológicos. Enchentes, vendavais, granizo, seca e tempestades são as catástrofes mais recorrentes na região.

Colaboração Assessoria Imprensa.