22°
Máx
17°
Min

Cooperativas de reciclagem recebem equipamentos com recursos de prêmio nacional

(foto: N.Com) - Cooperativas de reciclagem recebem equipamentos com recursos de prêmio nacional
(foto: N.Com)

Uma cerimônia simbólica realizada na Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) na manhã desta sexta-feira (1º) marcou a entrega de  equipamentos adquiridos com os R$ 120 mil  do Prêmio Cidade Pró-Catador. Londrina venceu a Categoria D, de cidades com mais de 300 mil habitantes, em que concorreu com Porto Alegre (RS) e Aracaju (SE).

Foram adquiridos equipamentos para reciclagem dos resíduos, balanças, esteiras, empilhadeira, bebedouros, computadores, móveis para escritório, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) - luvas, protetores auriculares, capas de chuva, botinas - camisetas personalizadas, dentre outros materiais.

Segundo Eliene Moraes, coordenadora da coleta seletiva da CMTU, esta é mais uma etapa que reconhece o sistema adotado pelo município como referencial. “O prêmio é uma conquista importante. Londrina se destaca, cada vez mais, como modelo de inclusão social dos catadores para as cidades brasileiras e até mesmo no exterior”.

Na semana passada, a CMTU recebeu uma comitiva do Chile, que acompanhou vários processos da coleta seletiva na prática, porta a porta e nos barracões, com interesse em conhecer mais o sistema para implantar o serviço na cidade de Coquimbo. No ano passado, a Companhia recebeu visitantes de outros estados e do Paquistão, com a mesma finalidade.

Cenário

Londrina conta com sete cooperativas (Coopernorth e Ecorrecin, além das demais citadas), as quais atendem mais de 220 mil domicílios, aproximadamente. A coleta seletiva contribui no sustento de mais de 400 cooperados, com renda média de R$ 936,00.

Segundo a CMTU, em 2014, eram calculadas 862 toneladas/mês de materiais comercializados, subindo para 952, em 2015 (10%) e, agora, nos primeiros meses de 2016, para 1.241 toneladas (23%). “Além da distribuição dos sacos verdes - cerca de 100 mil por semana -, precisamos considerar que no final do ano tivemos os períodos festivos, os quais contribuem para um consumo maior, consequentemente, o aumento no volume dos recicláveis”, salienta Eliene.

Neste ano, a CMTU tem desenvolvido programas de capacitação para uma reorganização das cooperativas, com cursos personalizados para os catadores. De acordo com a coordenadora, o objetivo é o nivelamento dos conhecimentos sobre o cooperativismo, segurança e saúde no trabalho, processo produtivo e organização dos barracões, com a finalidade de melhorar as condições laborais, promovendo também a renda e a qualidade de vida dos profissionais. “Temos buscado alternativas para tornar mais eficiente a prestação do serviço pelas cooperativas e, assim, aumentar o volume de recicláveis coletados. Nesse processo, é de fundamental importância a participação da população com a separação adequada dos resíduos recicláveis dentro de casa”, orienta Eliene.

(com informações da assessoria de imprensa da CMTU)