24°
Máx
17°
Min

Criança que teve 30% do corpo queimado tem suspeita de morte encefálica

Menino está internado no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais e teve piora no quadro nesta quarta-feira (Foto: Divulgação) - Garoto que teve 30% do corpo queimado tem suspeita de morte encefálica
Menino está internado no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais e teve piora no quadro nesta quarta-feira (Foto: Divulgação)

Depois de três dias de luta pela vida, o menino de dois anos que se queimou em um acidente com uma churrasqueira no último fim de semana apresentou um quadro de suspeita de morte encefálica no início da tarde desta quarta-feira (3). Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU) e se recuperava bem das queimaduras, mas teve morte cerebral por conta de uma queda dentro de casa, logo após o acidente com o fogo.

No último domingo (31), o garoto estava em um almoço de família quando jogou álcool na churrasqueira que já estava acesa. O líquido explodiu e atingiu a criança, que teve 30% do corpo queimado. Ela foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu e foi encaminhada ao HU. Desde então, o menino estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica.

Confira a íntegra da nota oficial encaminhada pela direção do HU e assinada pelo diretor geral Everson Krum e pelo diretor técnico Rafael F. dos Santos:

“O menor Davi Luiz Braganceiro deu entrada no domingo dia 31/07/2016 com queimaduras em 35% do corpo, foi atendido no HU conforme o protocolo de atendimento para grandes queimados, sedado e mantido até o momento na UTI Pediátrica.

Na data de hoje [quarta-feira, 3] apresentou piora do quadro neurológico por um extenso edema cerebral consequente de outros traumas que o menor sofreu durante o incidente que culminou com a queimadura.

Nas últimas horas evoluiu para diminuição do nível de respostas neurológicas, apresentando-se em estado crítico e com suspeita de morte encefálica.

Todos os esforços das equipes de assistência estão voltados para a recuperação do paciente, mas infelizmente não houve resposta positiva nas últimas horas.”