23°
Máx
12°
Min

Cumprimento de reintegração de posse do “terrão do São Braz”

Cumprimento de reintegração de posse do “terrão do São Braz”

O “terrão do São Braz”, como ficou conhecido um terreno ocupado nas proximidades da rua José Rubens de Lima, em Curitiba, é alvo de uma reintegração de posse na manhã desta quarta-feira (20). Um oficial de Justiça foi até o local para citar a decisão judicial. Há um grande aparato da Polícia Militar para acompanhar a desocupação.

Segundo moradores da região, que preferiram não se identificar, as famílias que estavam no terreno saem tranquilamente do local durante o cumprimento da reintegração.

Centenas de pessoas ocuparam recentemente o imóvel, que pertenceria a uma imobiliária. O terreno não possui qualquer benfeitoria. Os invasores construíram barracos de madeira dentro da área. Com a decisão judicial, os ocupantes desmontavam as estruturas, enquanto policiais militares acompanhavam a mobilização.

Segundo o tenente-coronel Antonio Zanatta, comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar, toda a operação ocorreu sem problemas. Houve preparação da equipe policial desde a madrugada desta quarta-feira, com o objetivo de garantir a segurança de quem estava no terreno e também da população do entorno. Zanatta explica que 60 pessoas estavam na área no momento do cumprimento da reintegração de posse. No entanto, cerca de 500 famílias ocupavam a área.


De acordo com ele, foram feitos contatos com lideranças dentro do terreno invadido e também da comunidade para garantir segurança aos oficiais de Justiça e à ação como um todo. Zanatta confirmou que foram levados em consideração o histórico de confusões envolvendo a ocupação. "Ficamos em contato com a comunidade e também colhendo informações nas proximidades para identificar pessoas que poderiam se valer do local e da situação", comenta.

"Um dos nossos focos foi conter a violência na região. Na semana passada, localizamos um suspeito de estupro, que inclusive foi reconhecido por algumas vítimas. Ele foi encaminhado. Hoje, um homem suspeito de roubo também foi encaminhado", conta Zanatta. Ele afirma que os policiais militares vão aguardar a retirada de todos os pertences e materiais que estão dentro do terreno. Tudo será encaminhado pelo responsável do terreno aos locais indicados pelas pessoas que ocupavam a área.

O terreno vinha sendo alvo de confusões e problemas nos últimos meses. No final de março, a notícia de uma reintegração de posse se espalhou entre os ocupantes da área. Eles colocaram fogo nas estruturas montadas dentro do terreno. Na época, a Polícia Militar foi chamada para conter os ânimos. Moradores do bairro fizeram um protesto para chamar atenção aos problemas envolvendo a área.

Colaboração Rede Massa