21°
Máx
17°
Min

CURITIBA ABANDONADA: Obras da Unidade de Saúde Jardim Aliança paradas há mais de um ano

CURITIBA ABANDONADA: Obras de unidade de saúde paradas há um ano

Quinze mil pessoas. Esta é a quantidade de moradores do Jardim Aliança - no bairro Santa Cândida, em Curitiba - que poderiam ser atendidos pela unidade de saúde que está abandonada na região. O prédio está de pé, mas não há previsão para a retomada das obras. Enquanto isto, a população procura as outras unidades de saúde do bairro para o atendimento de saúde básica.

A construção teve início na atual gestão da Prefeitura de Curitiba e constava no plano de governo do prefeito Gustavo Fruet, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), que desde o ano passado faz denúncias quanto ao abandono da obra. “As outras unidades de saúde do bairro já possuem as suas próprias demandas. A unidade de saúde do Jardim Aliança ajudaria a não sobrecarregar ainda mais o sistema de complexidade, impactando ainda mais o sistema como um todo. Sabemos que uma unidade é capaz de responder por 80% dos problemas de saúde da população”, afirma Irene Rodrigues, coordenadora geral do sindicato.

Enquanto não existe uma solução para a retomada das obras na unidade de saúde do Jardim Aliança, o local é ocupado por moradores de rua e usuários de drogas. Em um dos registros feitos pelo Sismuc na construção foram encontrados colchão e roupas, além de garrafas de bebidas alcoólicas. 

Irene lembra que, em julho, uma outra unidade de saúde que estava abandonada teve as obras retomadas. O Massa News mostrou o caso, referente à unidade do Campo Alegre, na Cidade Industrial de Curitiba. As obras ficaram dois anos paradas. “A retomada das obras do Campo Alegre é uma conquista, mas precisamos lembrar do investimento de dinheiro público. Quem de fato vai pagar pelas obras paralisadas?”, questiona. “Independentemente do que tenha acontecido, é preciso ter responsabilidade com a população. O gestor sabe de sua responsabilidade”, opina.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal da Saúde informou que as obras da Unidade de Saúde Jardim Aliança foram paralisadas no primeiro trimestre de 2015 e a construtora responsável pelo empreendimento perdeu o direito da obra em fevereiro de 2016. A obra da US Jardim Aliança foi autorizada no dia 10 de dezembro de 2012. Na primeira medição do empreendimento, em 6 de fevereiro do ano seguinte, a execução estava em 6,24%.

“A construção foi interrompida com 72% de execução devido a problemas administrativos e financeiros da empresa contratada, que foram agravados pelos atrasos no fluxo de repasses do governo estadual ao longo da obra. Desde o início de 2015, a empresa foi acionada diversas vezes pelo município e sempre garantiu a retomada do empreendimento”, traz a nota.

“Desde que a contratada perdeu o direito da obra, a construção passou a ser monitorada pela Guarda Municipal e a Prefeitura tem tentado viabilizar a continuidade da construção sem a necessidade de uma nova licitação, convocando as outras empresas participantes da concorrência inicial. Assim que a obra for retomada, a previsão é de que a unidade de saúde seja concluída em cinco meses. O contrato com o Governo do Estado foi renovado e tem validade até junho de 2017”, informa a prefeitura.

Já o governo estadual, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, afirmou que foram pagas cinco das seis parcelas previstas no convênio para a unidade Jardim Aliança. “A sexta e última parcela será paga quando a unidade estiver com 90% da obra concluída”, comunicou a secretaria por meio de assessoria de imprensa

A coordenadora do Sismuc não acredita que a unidade de saúde possa ser concluída ainda neste ano. “Já estamos praticamente em agosto. Mesmo que as obras sejam retomadas, não haveria tempo hábil”, avalia Irene. Enquanto isto, moradores da região passam todos os dias em frente ao sinal claro de abandono do poder público municipal.