23°
Máx
12°
Min

CURITIBA ABANDONADA: Volta às aulas está comprometida

(Foto: Cesar Brustolin/ SMCS) - CURITIBA ABANDONADA: Volta às aulas está comprometida
(Foto: Cesar Brustolin/ SMCS)

O retorno às aulas na rede municipal de ensino, marcada para a próxima terça-feira (26) é esperado com apreensão. Depois que a Prefeitura de Curitiba anunciou que os professores e funcionários não poderão fazer horas a mais de trabalho, as equipes das escolas não sabem se terão condições de receber os alunos.

A medida é conhecida entre os trabalhadores da educação como Regime Integral de Trabalho (RITs). Ela é destinada aos profissionais com carga horária de 20 horas por semana, que podem trabalhar a mais, conforme necessidade de cada instituição. De acordo com a decisão da prefeitura, o trabalho a mais não está mais permitido.

Na próxima segunda-feira (25) a categoria realiza um ato em frente à prefeitura. Eles vão protestar contra os cortes na educação com um café da manhã marcado para 15h, com o objetivo de pressionar o prefeito Gustavo Fruet.

“É uma situação bem grave, precisamos desses funcionários para trabalhar nas bibliotecas, para cobrir os profissionais que saem em licença de saúde, licença maternidade. Quem vai fazer isso?”, questiona o diretor do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), Adriano Vieira.

Além de comprometer o atendimento aos alunos, o receio dos profissionais é a sobrecarga de trabalho, pois a equipe deve ficar reduzida. “É terrível. A escola vai ter que se virar com o quadro que tem”, alerta o diretor. A situação deve prejudicar também as classes especiais.

A solução para o problema, aponta Vieira, seria a efetivação dos funcionários que foram aprovados no último concurso da prefeitura e que já estão aptos a serem nomeados. “A prefeitura não quer liberar o RIT? Então chama os funcionários do concurso público”.

"Rotineira"

De acordo com a secretaria municipal de Recursos Humanos, as alterações nos processos da rede municipal de educação são realizadas a cada fim de semestre. “A reorganização das classes e a reavaliação dos RITs são procedimentos rotineiros, de conhecimento da entidade sindical”, comentou em nota.

Além disso, a pasta informou que no “retorno das aulas para o segundo semestre, todas as turmas e bibliotecas escolares terão profissionais da educação atuando, conforme previsão realizada durante o planejamento para o período.” Já a convocação dos concursados pode ser feita a qualquer momento, mas não foi apontado efetivamente quando eles serão chamados.

Mesmo assim, as observações da prefeitura não acalmam os ânimos dos funcionários. “Foi uma atitude rasteira da prefeitura. Na véspera dos professores saírem no recesso vieram com as normativas de mudança. O clima é tenso, os diretores estão desesperados, não sabem o que fazer nem como lidar com a situação”, critica Vieira.