21°
Máx
17°
Min

Curitiba registra 3,8 mil invasões ao sistema de transporte coletivo por dia

(Foto: Arquivo/SMCS) - Curitiba registra 3,8 mil invasões ao sistema de transporte coletivo por dia
(Foto: Arquivo/SMCS)

No mesmo dia em que os vereadores discutem a cobrança de multa aos fura-catracas, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) divulgou dados do estudo que verifica o número de invasões ao sistema de transporte coletivo. De acordo com o levantamento, a média de 3.831 mil pessoas invadem ônibus por dia em Curitiba.

O sindicato prevê que a situação causa um prejuízo de R$ 400 mil por mês ou R$ 4,5 milhões por ano. “O problema é grave e continua aumentando. Claramente temos de aumentar as ações que possam inibir essas ocorrências e combater esse tipo de crime”, diz o diretor-executivo, Luiz Alberto Lenz César.

A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 20 de março deste ano, entre segunda-feira e domingo. De acordo com o sindicato, foram analisadas 45 mil horas de pesquisa e contou com 1.100 colaboradores.

O ponto com maior ocorrência é a estação-tubo Praça Carlos Gomes, no sentido Terminal do Boqueirão, que registra em média 250 invasões por dia. Na comparação com o número de pessoas transportadas e o total de invasões, a estação-tubo Rio Barigui tem a situação mais alarmante. Durante os dias pesquisados, o ponto registrou 640 invasões e 526 passageiros pagantes, dado que significa que mais pessoas invadem do que pagam a tarifa no local.

Em comparação com o estudo anterior, a pesquisa mostra que o perfil dos invasores mudou. Ao invés de gangues, quem mais está invadindo as estações são usuários comuns. “Talvez essa mudança seja explicada pela falta de punição aliada com a crise econômica, que leva ao aumento do desemprego e à ocorrência de mais conflito social”, avalia Lenz César. Ele considera o estudo como uma ferramenta que pode mapear regiões com problemas e ajudar nas ações de combate.

Colaboração Setransp