24°
Máx
17°
Min

Cursos profissionalizantes integram mulheres na construção civil

No total, mais de 70 mulheres já se formaram em cursos profissionalizantes e integram equipes em obras públicas (Foto: Divulgação) - Cursos profissionalizantes integram mulheres na construção civil
No total, mais de 70 mulheres já se formaram em cursos profissionalizantes e integram equipes em obras públicas (Foto: Divulgação)

Pintoras, pedreiras, eletricistas e azulejistas. Ao todo são mais de 70 mulheres que estão finalizando mais uma etapa dos cursos profissionalizantes em construção civil, oferecidos pela Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, em convênio com o Governo Federal. Nos cursos, além das aulas teóricas, elas também aprendem a colocar a mão na massa. Para isso, a Secretaria firmou algumas parcerias com as secretarias municipais de Educação e Assistência Social e a Unicentro, para que as alunas pudessem fazer as aulas práticas nas obras públicas, supervisionadas pelos professores.

Uma das obras em que elas trabalharam foi no Cedeteg. A vice-prefeita e secretária de políticas públicas para mulheres, Eva Schran, acompanhou o trabalho realizado pelas alunas. Entre as atividades, elas pintaram as instalações da Residência médica e dos Serviços de Hipoterapia e prática paraequestre, além da pintura das salas da Direção de Campus e quadros negros nas salas da anatomia. Para a vice-diretora do Campus, Adriana Knob, o serviço desempenhado pelas mulheres foi especial. “O diferencial que eu pude constatar é que elas sempre foram bastante dedicadas e empenhadas num trabalho que é bastante minucioso. Percebi também que elas tinham muita alegria em executar o trabalho e isso contagiava quem estava ao redor”, destacou.

A aluna Tatiane Aparecida Silva já sonha com a futura profissão. “Para mim, a pintura é uma nova carreira, era meu sonho de menina, porque eu ajudava meu pai. Não vejo só como um serviço para fazer em casa, quero montar meu CNPJ e seguir em frente  como carreira, construir um futuro com essa profissão”, comemorou a aluna. 

Há outras obras em que as alunas também atuam no serviço público. As pedreiras fizeram aula prática na Escola Municipal Iná Ribas Carli, no Xarquinho, as azulejistas estão na Escola Municipal Hipólita Nunes de Oliveira, no Boqueirão, as eletricistas trabalharam no CMEI da Palmeirinha e as pintoras também trabalharam no CRAS do Xarquinho. “Pela empolgação das mulheres percebemos que estamos atingindo o nosso objetivo da profissionalização. O que elas precisavam era de oportunidades e isso a secretaria está fazendo. Elas estão preparadas e são competentes, é só uma questão de deixar o preconceito de lado”, ressaltou Eva Schran.

Para aproximar possíveis contratantes dos serviços oferecidos pelas alunas, Eva explica que a secretaria está desenvolvendo uma base de dados para quem quiser contratá-las. “Já estamos planejando uma lista de contatos para que as pessoas conheçam as profissionais mulheres da construção civil. Se eu precisar rever a fiação da minha casa, ou pintar um cômodo, ou qualquer outro serviço, poderei acessar essa lista e contatar as profissionais”, finaliza.

Colaboração Assessoria de Imprensa.