26°
Máx
19°
Min

Delegado abre inquérito para apurar homicídio com legítima defesa em caso do campo de futebol

Morte aconteceu durante uma partida de futebol (Foto: Ricardo Vilches / Rede Massa) - Delegado abre inquérito para apurar morte em campo de futebol
Morte aconteceu durante uma partida de futebol (Foto: Ricardo Vilches / Rede Massa)

O delegado Messias da Rosa, responsável pela Delegacia de Campina Grande do Sul, vai abrir um inquérito para apurar a ocorrência da tarde deste domingo (17) em um campo de futebol, onde um homem de 28 anos foi morto a tiros. Em entrevista para o repórter Ricardo Vilches, da Rede Massa, o delegado informou que o inquérito foi aberto para investigar um homicídio com atenuante de legítima defesa.

A morte de Gilson da Costa de Camargo, de 28 anos, aconteceu durante uma partida de futebol. Ele não estava mais dentro do campo e percorreu a lateral do gramado quando houve toda a situação. Camargo foi atingido por dois tiros e caiu no chão. O responsável pelos tiros, um policial militar que estava de folga - conforme informações apuradas no local da morte -, disse que o homem fez menção de estar armado e, por isto, fez a abordagem.

Colegas de time do homem morto afirmaram que Camargo não estava armado e que carregava apenas uma garrafinha de água. Já os companheiros de time do policial informaram a versão dele.

O policial militar prestou depoimento na delegacia ainda neste domingo. O delegado Messias da Rosa contou que o policial afirmou ter efetuado um tiro no chão como forma de avisar sobre a abordagem ao homem. E ainda disse que mesmo assim o homem fez menção em sacar uma arma. Foi quando o policial atirou duas vezes.

Ele foi liberado após o depoimento. Um revólver calibre 38 foi apresentado na delegacia e encaminhada para perícia. O delegado tem 30 dias para finalizar o inquérito.

Atualização 

A Assessoria de Comunicação da Polícia Militar enviou no fim desta manhã (18), nota oficial sobre o ocorrido. Confira na íntegra: 

NOTA DO 22º BPM SOBRE O CASO DE CAMPINA GRANDE DO SUL ENVOLVENDO PM – 18.07.16

Sobre o caso de Campina Grande do Sul, envolvendo um policial militar, o 22º Batalhão da PM, unidade a qual o militar estadual pertence, esclarece que no que tange à Corporação, já determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as versões do fato ocorrido neste domingo (17/07) em Campina Grande do Sul, durante um evento esportivo.

Este procedimento é de praxe em casos como este e busca provas, documentos e ouve testemunhas referentes as versões apresentadas. Além disso, como o policial militar estava em horário de folga às investigações serão conduzidas também pela Polícia Civil. O policial militar, que tem cinco anos de corporação, ficará afastado das funções operacionais até o término do procedimento administrativo.

Importante ressaltar que a Unidade sempre busca a elucidação de todos os fatos que envolvem policiais militares e, se restar comprovada alguma responsabilidade, os instrumentos adequados de saneamento são adotados, na forma legal, sendo respeitados os direitos ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, para qualquer militar estadual.

Colaboração Ricardo Vilches / Rede Massa