24°
Máx
17°
Min

Denunciado pelo Gaeco é morto na Vila Zumbi

(Foto: Divulgação) - Denunciado pelo Gaeco é morto na Vila Zumbi
(Foto: Divulgação)

Um dos denunciados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, por participação de um homicídio em Rio Branco do Sul foi morto na noite deste domingo (29) na rua Paulo Pereira, na Vila Zumbi, em Colombo. Mauro Sidnei do Rosário, 32 anos, foi assassinado com vários tiros de pistola em um bar. Além disto, um homem de 32 anos e outro de 37 anos ficaram feridos gravemente e foram encaminhados para o hospital após socorro do Siate.

Conforme informações levantadas no local do crime, Mauro e outros dois homens foram atingidos por vários disparos, feitos por ocupantes de um Fiat Palio. Dois suspeitos abriram fogo no estabelecimento. Dentro do bar foram encontradas cápsulas de pistola ponto 40, 9mm e ponto 45. 

Mauro já havia sofrido uma tentativa de homicídio neste ano. Ele foi atingido por disparos em uma rua no centro de Rio Branco do Sul.

Mauro foi denunciado pelo Ministério Público juntamente com o delegado Rubens Recalcatti e outros sete policiais pelo homicídio qualificado de um homem - no dia 28 de abril de 2015 - que teria envolvimento com a morte do ex-prefeito de Rio Branco do Sul, João da Brascal. Este foi morto no dia 12 de abril do mesmo ano.

Mauro atuaria como informante da Polícia Civil e foi indicado como um dos autores dos tiros contra a vítima em Rio Branco do Sul. Segundo o Ministério Público, o grupo considerou o homem como o autor da morte do ex-prefeito da cidade e, por isto, o executaram. O MP atribui aos acusados os crimes de homicídio triplamente qualificado, fraude processual e diversos abusos de autoridade.