26°
Máx
19°
Min

Depoimentos da CP contra Luizinho Gari são adiados em Maringá

(Foto: Célia Martinez/Rede Massa) - Depoimentos da CP contra Luizinho Gari são adiados
(Foto: Célia Martinez/Rede Massa)

Os depoimentos da Comissão Processante (CP) que apura a quebra de decoro parlamentar pelo vereador Luizinho Gari (PP) foram adiados para a próxima semana, na Câmara Municipal de Maringá. Nesta terça-feira (10) seria ouvida Tânia Tait, do Fórum Maringaense de Mulheres, responsável pela denúncia.

A entidade resolveu entrar com o requerimento contra o vereador depois que ele ficou preso por cerca de dez dias, acusado de ameaças contra a ex-esposa. Luizinho Gari, a ex-mulher dele e outras testemunhas prestarão depoimentos na próxima semana.

Tânia Tait está em viagem e não pôde comparecer, o que motivou a transferência das agendas. Os vereadores Mário Verri (PT), Márcia Socreppa (PTB) e Ulisses Maia (PDT) definiram continuar a investigação, pois avaliaram que a defesa prévia entregue pelo parlamentar foi fraca.

Segunda CP

Nesta terça-feira, após o adiamento dos depoimentos da primeira Comissão Processante contra Luizinho Gari, teve início a reunião de trabalho inicial da segunda CP, que investiga a suposta ameaça feita pelo vereador ao colega de Casa Mário Verri.

Verri, que é presidente da primeira CP, recebeu uma carta com ameaças ao irmão, o deputado federal Ênio Verri (PT). Ele então prestou uma queixa na polícia e apresentou a correspondência na Câmara, o que motivou a outra investigação por quebra de decoro contra Gari.

Luciano Brito (SD), Humberto Henrique (PT) e Márcia Socreppa determinaram que o investigado apresente defesa prévia em um prazo de dez dias.

Colaboração Célia Martinez da Rede Massa