26°
Máx
19°
Min

Desembargador pede vistas e prefeito segue em prisão domiciliar

- Desembargador pede vistas e prefeito segue em prisão domiciliar

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) acatou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o  prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB) na tarde desta quinta-feira (29). O julgamento aconteceu em Porto Alegre (RS).

Com a decisão, o chefe do Executivo, que atualmente está afastado da função pública, vai responder por processo criminal. O pedido de prisão preventiva, no entanto, não foi analisado, já que o desembargador pediu vistas do processo. Assim, Reni segue em prisão domiciliar.

Pereira é acusado de ser o chefe de um esquema que teria desviado recursos públicos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e Sistema Único de Saúde (SUS) por meio licitações fraudulentas. Ele foi preso pela primeira vez no dia 14 de julho, durante a 4ª fase da Operação Pecúlio.

O MPF justificou o pedido de prisão em unidade fechada argumentando que o privilégio concedido ao prefeito abriria precedentes para outros presos.

No total, são mais de 80 réus, acusados de corrupção passiva e ativa, peculato e fraude em licitações.