21°
Máx
17°
Min

Detentos da Casa de Custódia fazem curso técnico de pintura

Curso teve aceitação dos detentos (Foto: Divulgação/Depen) - Detentos da Casa de Custódia fazem curso técnico de pintura
Curso teve aceitação dos detentos (Foto: Divulgação/Depen)

Vinte presos da Casa de Custódia de São José dos Pinhais – unidade de regime fechado do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen), na Região Metropolitana de Curitiba – finalizaram um curso técnico de pintura predial ofertado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Com carga horária de 180 horas, divididas em aulas teóricas e práticas, os presos testaram seus conhecimentos pintando as paredes da própria unidade prisional, incluindo salas de aula, enfermaria e corredores. “O curso é uma oportunidade de ampliar nosso conhecimento e tornar o ambiente mais agradável”, afirma o preso M.S.B., custodiado há um ano e dois meses na Casa de Custódia.

A.A., preso há um ano e quatro meses, diz que sente orgulho em mostrar o resultado do empenho para seus familiares. "Estou aprendendo uma nova profissão e a família se orgulha quando olha o resultado nas paredes da penitenciária durante as visitas", declara.

Curso

A pedagoga da unidade, Lanita Helaine da Silva Neves, explicou a dinâmica de oferta de cursos na Casa de Custódia. "Buscamos ofertar os cursos profissionalizantes no período de férias do ensino básico para que o tempo de prisão seja bem aproveitado, mantendo eles ocupados o maior período possível", explica.

Além de aprender uma profissão e receber certificação, os presos ainda têm outro benefício, já que a carga horária total do curso corresponde a 15 dias de remição da pena.

O diretor da Casa de Custódia de São José dos Pinhais, Jeferson Walkiu, diz que a aceitação dos presos e a grande procura por atividades profissionalizantes só acontecem pelo trabalho em conjunto entre o corpo técnico e segurança. "Essas iniciativas têm feito a diferença na custódia dos presos. Eles entendem e valorizam esses projetos. Em nenhum momento tivemos algum tipo de problema relacionado à indisciplina ou segurança", relata o diretor.

Colaboração Depen Paraná